Piscinas transparentes são tendência residencial

As piscinas são apaixonantes e tê-las em casa é um projeto que proporciona aspecto quase luxuoso. Há uma grande variedade e tipos e cada vez mais surgem novidades na área. Elemento que disponibiliza beleza própria onde é instalada, as piscinas despertam o desejo de muitos. As piscinas além de proporcionaram beleza, descontração e relaxamento é também uma oportunidade de manter a proximidade com um elemento da natureza renovador, a água. A variedade de projetos para piscina vem aumentando e cada vez mais ficam famosos

 

As piscinas transparentes são projetos ousados que esbanjam beleza e sofisticação. O design de sua construção permite, conforme o angulo e execução do projeto, visualizar o interior da piscina assim como quem esta submerso na mesma. Esse tipo de piscina é mais facilmente encontrado em academias, clubes ou hotéis, onde o fluxo de pessoas é maior e constante, oferecendo assim uma atração à parte. O tipo de vidro utilizado para construção das piscinas transparentes deve ser o laminado temperado que apresenta maior resistência e deve dispor de espessura específica para esse caso, oferecendo maior segurança para realização do projeto.

 

As piscinas transparentes causam um efeito impactante a quem visualiza, por oferecer a percepção do seu interior e deixar evidente a água que a compõem. Sua característica expositiva causa também uma sensação irresistível pra o observador. As piscinas transparentes não exigem nenhum cuidado além dos que são realizados em piscinas comuns como a limpezae manutenção preventiva.

Fonte: Clickobra

Conheça o jardim mais belo de 2013

Localizado na Austrália, local tem 170 mil plantas

 

  (Foto: John Gollings)

 

O maior jardim botânico da Austrália é também o mais bonito do mundo neste ano que já se encaminha para o fim. Pelo menos é o que avaliaram os jurados do World Architecture Festival Awards 2013 (WAF), que no início do mês deram o prêmio máximo ao Australian Garden na categoria projeto de paisagismo.

 

   (Foto: John Gollings)

A obra de arte é consequência do trabalho do escritório australiano Taylor Cullity Lethlean (TCL), que projetou o jardim em colaboração com Paul Thompson. Situado dentro do complexo do Royal Botanic Gardens, nas imediações de Melbourne, o projeto é fruto de 17 anos de trabalho. A longa duração não impediu The Australian Garden de vencer prêmios nesse meio tempo, fato que ocorre desde 1997. Mas a obra só se completou mesmo no ano passado.

 

  (Foto: John Gollings)

 

  (Foto: John Gollings)

 

  (Foto: John Gollings)

 

O enorme jardim une a horticultura, arquitetura, ecologia e arte e conta com aproximadamente 170 mil plantas de 1700 espécies diversas. A variedade dos componentes e a escala do Australian Garden são um tributo à riqueza natural do país. Nas palavras do júri que premiou o trabalho: “O projeto se destacou por sua originalidade e a forte evocação da identidade australiana conquistada sem o uso de símbolos ou palavras – apenas a bela flora do interior da Austrália!”.

 

  (Foto: John Gollings)

 

  (Foto: Ben Wrigley)

 

  (Foto: Ben Wrigley)

 

  (Foto: John Gollings)

 

  (Foto: Ben Wrigley)

 

  (Foto: Ben Wrigley)

 

  (Foto: John Gollings)

 

  (Foto: Peter Hyatt)

 

  (Foto: Peter Hyatt)

 

  (Foto: Paul Thompson)

 

  (Foto: TCL)
Fonte: Casa Vogue

Pallets na Decoração

Quem tem pallets parados aí?

Tá na hora de reciclar!
Vivemos em uma era ecologicamente correta em que a sustentabilidade já virou tendência. É possível criar ambientes lindos com objetos recicláveis.
É possível transformar o pallet em sofá, mural, cama, mesa, balanço,  aparador, entre outros objetos de decoração.

Confira abaixo o passo a passo para transformar um simples pallet de madeira em uma mesa de centro para sua sala, por exemplo, ou uma base para a cama, uma estante para a cozinha. Então, mãos à obra.

Nesta foto o pallet virou uma linda prateleira.

alemdaruaatelier.com.br

 

Para esta transformação:
1. Lixe bem o pallet;
2.Depois, é só medir o espaço onde vai fazer as prateleiras, e cortar sobras de compensado e pregar no pallet;
3. Use pregos grandes, para fixar bem a madeira no pallet;
4. E por fim, pinte o pallet de branco, com duas demãos de tinta PVA;
5. As florzinhas foram pintadas com pincel zero;
6. Para finalizar, coloque ganchos nas duas réguas superiores, para pendurar as canecas e também dois ganchos em cada lateral externa, aumentando a utilidade do pallet.

 

alemdaruaatelier.com.br

alemdaruaatelier.com.br

 

Passos para transformação:

1. Posicione o pallet na sala para ver se a peça se encaixa bem no ambiente;
2. Use massa para madeira (ou massa corrida) para eliminar imperfeições e depois lixe;
3. Dê uma demão de tinta base branca para garantir uniformidade;
4. Prepare a mistura usando tinta esmalte à base de água nas cores amarelo ouro e branco;
5. Dê duas demãos de tinta amarela;
6. Para incrementar a peça, mande cortar dois vidros e dois espelhos para cobrir a superfície da forma como está na foto.

pallet3

http://www.revistacasavale.com.br

 

Aqui algumas fotos pra você se inspirar e reciclar:

 

pallet3

blogfeitobrasil.com

blogfeitobrasil.com

 

Algumas camas para você sonhar…

Juntando duas unidades, colocando um tampo de madeira e seis rodinhas. Uma bela lixada e umas boas camadas de tinta.

 

pallet5

pallet6

 

Pra ficar mais alta foram usadas três camadas de pallets.
E notou que charme a iluminação embutida nos vãos? A beleza está nos detalhes

 

pallet7

blogdedecorar.blogspot.com

blogdedecorar.blogspot.com

 

Agora uma versão rústico-chique

 

pallet10

 

Para os mais românticos…

 

pallet9

 

Além de cama, serve como um belo sofá durante o dia!

 

pallet11

pallet12

 

Use os vãos da cama – pallet para guardar sapatos

 

pallet13

 

Veja só: além de ser feita do maravilhoso material reciclado, pallet, ela ainda leva uma porta antiga como encosto.

 

pallet14

http://www.diarioweb.com.br/blogvidaearte

 

Inspire-se!

 

pallet15

pallet16

 

pallet17

pallet18

pallet20

pallet21

 

Transformar a casa com criatividade e economia.
Uma área gourmet externa que reutiliza pallets de madeira de diversas formas, inclusive como suporte para uma churrasqueira.

 

g1.globo.com/platb

g1.globo.com/platb

 

Os pallets são dispostos verticalmente e neles foram colocados dois suportes simples.

 

pallet23

 

Existem muitos projetos decorativos que usam pallets, da mesma forma que existem diversas opções de jardins verticais.
Você também pode fazer uma horta utilizando a mesma técnica.

 

ciclovivo.com.br

 

Basta usar a criatividade, que sua casa pode se transformar!

 

Fonte: Portobello

Terrários surgem como opção para quem quer ter um jardim dentro de casa

Um pedacinho do mundo na palma da mão – esta é a ideia dos terrários que permitem ter um mini jardim dentro de casa sem ter muito trabalho

 

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
Práticos, bonitos e facéis de fazer, os terrários são a reprodução de um pequeno ecossistema dentro de um recipiente de vidro. Por isso, sempre foram muito usados em aulas de ciências para ensinar sobre o ciclo da água e o crescimento das plantas. Hoje, são tendência na decoração, com versões sofisticadas, que podem ser usadas, por exemplo, como arranjo de centro de mesa ou como enfeite vertical de parede.

Lidiane Piekarski, técnica em paisagismo e dona do blog ABC das Suculentas, explica que o número de pessoas procurando terrários tem aumentado, mas que a maioria não quer ter muito trabalho com a manutenção, quer mais uma peça de decoração do que uma planta. “Esse mercado vai se expandir”, prevê.

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
A montagem desse minijardim é um convite à imaginação – podem-se usar pedras diversas e areia colorida, formando diferentes camadas sensoriais. A escolha das plantas também interfere na apresentação. Lidiane, por exemplo, é especialista nas chamadas suculentas, plantas de clima seco, e monta terrários mais abertos, com bastante areia, o que cria um clima desértico. Os mais tradicionais são mais úmidos, com espécies de bromélias, heras e musgos. Estes tendem a ser mais fechados, para criar o aspecto de floresta em miniatura.

A paisagista Rose Antonelli explica ainda que os terrários com plantas suculentas e outras espécies que têm maior capacidade de armazenamento são os ideiais para quem quer uma peça aberta. Já quem pretende usar plantas que demandam mais água deve optar por vidros com tampas ou vedar o terrário com papel filme, o que assegura a manutenção do microclima que se cria ali. Outra opção é escolher vidros mais afunilados, cuja forma permite um melhor retorno da água que se forma na paredes pela transpiração das plantas. Assim, as gotas voltam mais rápido ao “solo”.

Os formatos podem ser dos mais variados, atendendo o gosto e a necessidade de cada um, mas Rose alerta que, quanto menor o recipiente, mais difícil a manutenção. Na hora de escolher o pote, observar a dinâmica de crescimento do espécime é fundamental. “Deve-se conhecer a planta e imaginar qual seria o tamanho natural dela daí a um ano, para que não sofra por falta de espaço.” A espessura do vidro é outro aspecto importante — não pode ser muito frágil, para evitar rachaduras.

Os terrários se mostram como uma opção versátil, que é moldada de acordo com o gosto de cada um. Podem ser simples, sem elementos adicionais, apenas recriando um ecossistema; podem ser fechados, tendo assim um crescimento independente; ou abertos, permitindo intervenções. Existem os mais sofisticados, com cores e plantas diferentes, arrumados em vidros de modelagem ousada, e também os despojados, criados até mesmo em potes reutilizados. Viu? Não há motivo para não tentar montar um com a sua cara.

Cultive seu jardinzinho

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)

Elementos

– Recipiente de vidro: formato e tamanho de sua escolha.
– Carvão ativado: ajuda na absorção de cheiros e evita o apodrecimento do terrário. Pode ser o mesmo usado em churrasqueiras, desde que seja moído.
– Substrato de terra: é mais leve que a terra comum, não se solidifica facilmente, permanecendo fofo para as raízes. Comprado em supermercados, já vem com a quantidade correta de adubo.
– Mudas e plantas: de livre escolha, desde que o tamanho e a expectativa de crescimento se adequem ao vaso escolhido.
– Pedras decorativas, areia e acessórios: são opcionais. Podem ser simples, como camadas de musgo, ou vermiculito, espécie de cortiça triturada, que ajuda também na manutenção da umidade do terrário. Areias coloridas, conchas e miniaturas também podem ser usadas.

Montagem

– A primeira camada é a de carvão. Em caso de vidros muito compridos, recomenda-se o uso de um cone de papel, evitando que a fuligem suje as paredes. Depois de colocar o carvão, faz-se uma pequena limpeza da fuligem que porventura tenha escapado.
– Em seguida, podem vir camadas de musgo, vermiculito ou areia decorativa, incrementando o terrário.
– O próximo passo é a adição do substrato e seu assentamento. Aqui, o cone de papel pode ser usado novamente, evitando que o vidro fique sujo.
– É o momento de adicionar as plantas. As espécies, que podem ser compradas ou retiradas de jardins, devem ser totalmente lavadas e estar livres de micro-organismos, que podem prejudicar o seu desenvolvimento. As raízes devem ser encobertas — a planta fica firme no solo.
– São introduzidos os elementos opcionais. Pequenas pedrinhas podem compor mais uma camada e as maiores podem ser colocadas nos locais de preferência. Muitos usam conchas e miniaturas. Em terrários mais úmidos, as pessoas costumam usar pequenas figuras de rãs e sapos. Quando a abertura do vidro é larga, são colocadas miniaturas de bancos, pessoas e outros elementos pitorescos.
– Por fim, regamos o terrário. A quantidade de água varia de acordo com o tamanho e o tipo de planta escolhida. Após um ou dois dias, se for o caso, o terrário pode ser vedado, criando o seu microclima. Em terrários abertos, deve-se ficar atento à reposição periódica de água. Em geral, devem viver em ambientes com muita luz, evitando a exposição direta ao sol, para que não ocorra um superaquecimento no microclima interno.
– A técnica em paisagismo Lidiane Piekarski monta terrários como este, aberto, colorido e rico em suculentas

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)

 

Fonte: Correio Braziliense

Cantos para pets

O coração dos donos, eles já fisgaram. Agora, cães e gatos conquistam território nobre na casa: grama na varanda do apartamento, caminha com design e outras ideias que você pode reproduzir.

 

Sem título

Mesmo morando em apartamento, os cães Billy e Burtikus podem brincar na grama – e também usá-la para fazer as necessidades. Na varanda, a paisagista Ivani Kubo idealizou uma contenção de cruzetas e, dentro dela, colocou uma camada de argila, outra de manta geotêxtil, depois terra e grama-são-carlos.

 

Sem título10

Dentro da casa dos cachorros, fica o “banheiro”: sobre uma camada de terra, foi colocada outra de areia. Por cima de tudo, seixos. A composição absorve o xixi e minimiza o odor. A sujeira retida na superfície é removida com a pá. É preciso trocar areia e seixos a cada 3 meses.

Sem título4

Escalar o poste é uma das maneiras de a gatinha Pabby chegar ao patamar. Outros caminhos são as rampas e a escadinha presa a cabos de aço. As ideias são da proprietária, Mírian dos Santos.

Sem título11

Os banhos de sol do gato persa Bartolomeu nunca mais foram os mesmos depois da concepção do jardim para o bichano. Mesmo sem ter o perfil de animal de área externa, o gato passeia muito mais pelo jardim depois que as paisagistas Claudia Diamant e Marina Domingues incluíram um deque elevado com vegetação.

Sem título5

Sob a pequena laje, caixas higiênicas (as azuis) são os “banheiros”. Dentro delas, há areia. Tijolos vazados foram estrategicamente colocados nessa área, para minimizar o odor. A bancada serve para dar banho e limpar as orelhas dos gatos.

Sem título6

A gata Penélope se esparrama no quarto claro e ventilado, que tem arranhadores cilíndricos, fixados na parede, e nichos organizadores feitos de alvenaria.

Sem título7

Elegante, a cama do buldogue francês Tião foi comprada em uma loja de design, em São Paulo, pelo casal de proprietários, os publicitários Carlos e Ana Paula.

Sem título8

A casinha do cãozinho Dagoberto tem a decoração de peças de ferro fundido com pintura eletrostática e recorte de madeira em forma de osso. As bolas de musgo sintético representam um “jardim”. O projeto é de sua dona, a designer Juliana Daidone.

Sem título1

Projetado pelas arquitetas Elaine Delegredo e Luciana Corrêa, este canil é a réplica da casa dos donos: tem revestimento de tijolo de demolição e telhado com caídas.

Sem título9

Mogli, Jéssica e Bianca vivem num espaço considerado, para os padrões caninos, uma mansão. Construído pelos proprietários Luiz Otávio Debeus e Tadeu Nasser, o canil tem área de convivência, dois quartos e, nos fundos, um “banheiro”.

Sem título3

Portas e janelas de vidro temperado garantem ventilação e entrada de luz. Para proporcionar conforto térmico, a construção recebeu forro de madeira. Pelo visor, a “moradora” confere o movimento do lado de fora.

 

Fonte: Revista Casa e Jardim

A árvore mais bonita do mundo

Planta florida e gigante de 143 anos chama atenção de turistas no continente asiático

 

Com uma floração em cachos, a Glicínia se assemelha a um enorme guarda-chuva quando totalmente florida.

 

Datada de 1870, a Glicínia centenária – nome dado à espécie – ainda surpreende os turistas que passeiam pelo Ashikaga Flower Park, em Tochigi, no Japão. A elegante trepadeira é conhecida por ser a árvore mais bonita, além de ser a maior e mais antiga dessa espécie no arquipélago asiático.

De grande valor ornamental, com inflorescências longas, pendulares e carregadas de delicadas e numerosas flores, a Glicínia tem uma beleza quase hipnótica quando floresce totalmente, entre os meses de abril e maio – primavera no Japão. Há uma década, a árvore tomava uma área de 72 m² dentro do Ashikaga Flower Park. Hoje, ela já ocupa um total de 1.000 m² e é considerada um espetáculo a parte por quem visita o local.

Embora seja a mais chamativa, a árvore de 143 anos não é a única de sua espécie que pode ser encontrada no parque. Além dela há treliças que exibem outras plantas, arbustos e, ainda, um túnel de cerca de 80 metros todo rodeado de Glicínias com flores brancas, amarelas e roxas.

À esq., conhecida como a Flor da Ternura, as Glicínias chamam atenção pelas cores e pela imponência.

Corredor de Glicínias de diferentes cores.

A Glicínia de 143 anos.
Fonte: Revista Casa e Jardim

Casas com Lagos na decoração de interiores

De Singapura, Colorado, Mumbai, Perth e em todo o mundo, esses projetos impressionantes apresentam um elemento a cargo de antiga filosofia oriental que foi abraçado pelo mundo moderno ocidental: jardins com água. Sinônimo de tranquilidade e bem-estar, jardins com água fazem mais do que aliviar a alma, fazendo uma contribuição para os espaços interiores.

Notadamente, nas representações a seguir, jardins com água, na maioria das vezes, habitam o que pode ter sido de outra forma o espaço morto dentro de uma estrutura, como as áreas que se encontram sob escadas flutuantes.

interior carpa lagoa cercada por madeira ea vida moderna

jardim aquático indoor no pé da escadaria de mármore flutuante

Habitar viveiro de peixes interior visto de rico escada de madeira

Estúdio Mumbai-openair água jardim interior completo com peixes residentes

openair jardim interno de água cercada por madeira lisa

moderno entretenimento salão de couro estão cercados por água viva jardim

AZD leva a utilização do potencial espaço morto um passo além, adicionando um piso de vidro em cima do corpo decorativo de água que se encontra debaixo da escada, criando uma via que serve como principal acesso a entrada da residência.  Este espaço, como muitos a seguir, é cuidadosamente decorados com elementos vivos que tomam a forma de palhetas de água e palmeiras em vasos, o que aponta para um ethos subjacente do modernismo tropical que é visto com mais detalhes ao longo desta coleção.

 

Esta acima aproveita um espaço inutilizado, adicionando um piso de vidro em cima do corpo decorativo de água que se encontra debaixo da escada, criando uma via que serve como principal acesso a entrada da residência. Este espaço, como muitos a seguir, é cuidadosamente decorado com elementos vivos.

 

Escultura NGDC-spiritural saindo da lagoa característica de água no interior

lagoa característica da água interna com lotus lillies flutuante

openair lagoa característica da água do pátio central, rodeado por elementos ricos

Banho Houzz-madeira com banheira de imersão e lagoa característica de água no interior

Elementos do modernismo tropical pode ser encontrado neste submissão de Pulltab projeto, que foi bastante influenciado pela obra de arquitetos prolíficos, Geoffrey Bawa, Carlo Scarpa e Richard Neutra.  A piscina rasa de aço neste espaço pode ser apreciada a partir de sala de estar do mezanino e do nível mais baixo, enquanto um estilo extravagante na forma de um barco de vela modelo chama a atenção para a piscina eo pendendo parede verde acima.  Este é sutil modernismo tropical em sua forma clássica.  Ele é, em essência, comparativamente estereotipada e académica, quando se considera a natureza do espaço a seguir, o que leva a estética do modernismo tropical literalmente, embora o cuidado de manter um nível de funcionalidade por meio da incorporação de trampolim plataformas que flutuam no recurso da composição.

Ethan vida ao ar livre Tweedie-tropical flutuando na lagoa característica da água com vibração oriental

Ricos que vivem em madeira com adega de vidro e piso de pedra lagoa interior

Dwy Landscape Architects-angular piscina característica da água que arrasta fora para dentro

Deep Creek River-interior esculpido no local com o recurso água enevoada

Baan Design-futurista de lótus água lilly interior lagoa

 

Fonte: Home designing

As 10 árvores mais bizarras do planeta

Seleção traz as espécies mais curiosas e estranhas que existem

 

As árvores oferecem comida e abrigo ao ser humano, mas não são seus frutos ou sombras que impressionam nesta seleção das 10 espécies mais curiosas do planeta – são suas formas, muitas vezes bizarras, que atraem a atenção de turistas ou aficionados pela natureza. Da Ásia ao Brasil, escolha a espécie mais surpreendente na lista abaixo.

 

  (Foto: reprodução)

1. Árvore da Vida


Há 400 anos, ela vive solitária no meio do deserto do Bahrein, graças às raízes profundas e extensas. Cerca de 50 mil turistas percorrem 2 km de areia fina para ver de perto a Sharajat-al-Hayat, como é chamada a árvore no idioma local – reza a lenda, inclusive, que ela fica no mesmo local do bíblico Jardim do Éden.

________________________________________________________________________

  (Foto: reprodução)
  (Foto: Reprodução)

2. Árvores de Circo


O fazendeiro Axel Erlandson começou a brincar com a aparência das árvores até que montou uma fazenda na Califórnia, na década de 1940, para expor suas Árvores de Circo – ele podava, vergava e inseminava as plantas em formas fantásticas. Para a Árvore Cesto, por exemplo, ele plantou seis mudas em um círculo e depois as enxertou umas nas outras para formar os padrões geométricos que desenham o tronco acima.

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)
  (Foto: Reprodução)

3. Baobás



Com troncos que podem armazenar até 120 mil litros-d’água, elas se tornaram símbolo do Senegal e a árvore nacional de Madagascar (que possui a maior variedade: seis espécies). Entre 25 m de altura e 7 m de diâmetro, os baobás crescem em zonas áridas e sofrem intervenções humanas, como este inusitado banheiro, construído dentro de seu casco. 

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)

4. Banyan



O templo Ta Prohm, no Camboja, foi cenário do filme Tomb Raider. A construção é marcada pelas raízes gigantes das árvores que crescem para cima, ao redor e através das suas paredes. Na Índia, aliás, as pessoas acreditam que a árvore realiza desejos e traz sorte.  

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)

5. Cajueiro de Pirangi



A praia de Pirangi, na cidade de Parnamirim, RN, virou ponto turístico por ter o maior cajueiro do mundo – ele cobre uma área de 750 m². Isso acontece porque os pesados galhos pendem e se curvam para o solo até que deem novas raízes e comecem a brotar novos cajueiros a partir da mesma árvore.

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)

6. Carvalho



A Chapelle Chêne (“capela de carvalho”) é um carvalho que hospeda, no tronco oco, duas capelas construídas em 1669 – uma escada em espiral leva os peregrinos até os templos. A árvore, que fica em Allouville-Bellefosse, França, tem entre 800 e 1.200 anos, 15 m de altura e 16 m de circunferência.

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)
  (Foto: Reprodução)

7. Cipreste



A Árvore de Santa María del Tule, no México, é um cipreste (Taxodium mucronatum) de mais de 2 mil anos. Esta é uma das maiores do mundo, com 42 m de altura, volume de 817 m
³ e peso estimado de 636 toneladas. Por conta do seu tamanho, os nódulos que surgem nos troncos formam figuras que atraem visitantes.

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)
  (Foto: Reprodução)

8. Dragoeiro


A casca e folhas cortadas secretam uma resina avermelhada, batizada como sangue de dragão, que era usada na Europa para produzir remédios ou tingir madeira e tecidos. O dragoeiro (Dracaena draco) é natural da península Ibérica, mas também pode ser encontrado em abundância nas ilhas Canárias (Espanha) e em alguns pontos do arquipélago de Madeira e Açores (Portugal). 

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)

9. Sabina


O vento forte causa a deformação nos troncos da maioria das Sabinas (Juniperus phoenicea) da Ilha de El Hierro, no arquipélago espanhol das Canárias. A árvore foi descartada para a fabricação de móveis por conta de sua fragilidade, mas virou atração turística, especialmente durante a Semana Santa. 

_________________________________________________________________________

  (Foto: Reprodução)
  (Foto: Reprodução)

10. Sequoia


Reconhecidas pelo grande porte e longevidade, as sequoias podem passar dos 100 m de altura e viver por milênios. A espécie tem um tronco avermelhado e bastante robusto. Ela é tão forte que a árvore Chandelier, que fica em Legget, na Califórnia, teve sua base perfurada na década de 1930 para virar um túnel para carros.

 

Fonte: Casa vogue

Conceito de edifício com jardins

Se você está cansado de olhar para projetos normais, este post é certamente vai surpreendê-lo!

Este edifício, modelado pelos arquitetos MAD será localizado em Chonquing, China.

Conectados por uma estrutura cilíndrica, cada andar foi colocado um pouco fora do centro, dando ao edifício uma sensação única.

Pisos abstratos com janelas de vidro tornam o edifício surreal e os jardins nas varandas complementam sua beleza.

Os pisos são projetados para criar uma ilusão de cada variável sobre a outra. O modelo é tal que reúne natureza e metrópole urbana, criando assim uma obra-prima que iria agradar a todos!

Dê uma olhada.

urban forest - from far away

urban forest - image

urban forest - in the day

urban forest building

urban forest building amongst others

urban forest - similarities

urban forest - building magnificance

urban forest - images from the floors

urban forest - partially

urban forest - inside

urban forest- levels of the building

urban forest- partial view

 

Fonte:  Home designing

Árvores são mantidas em projetos de residências

Elas podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza…

 

Além do fator estético, ter uma árvore dentro de casa é possuir um isolante térmico natural  (Reprodução/Internet)
Além do fator estético, ter uma árvore dentro de casa é possuir um isolante térmico natural

Na maioria das vezes, o primeiro passo para construir uma casa é retirar os empecilhos do terreno. As primeiras a serem derrubadas são as árvores. É complicado integrá-las ao projeto da casa, porém é possível. As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza.
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet

As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
Se o seu terreno não veio com este presente natural, é possível improvisar - plantas grandes e bonitas podem ser facilmente adaptadas para crescerem de forma saudável, e ainda levar verde para dentro de casa. Foto: Casa Cor Brasília 2012 - Escritório do Advogado / Sérgio Borges - Reprodução/Internet
Dentre as opções estão as palmeiras, figueiras, ipês e caquitos - estas plantas, com luminosidade adequada e boas condições, vão ornamentar seu espaço interno. Foto: Casa Cor Brasília 2012 - Loft Garagem /  Brill & Maaldi Arquitetura, Otto Brill e Rebeca Maaldi - Reprodução/Internet
Se o seu terreno não veio com este presente natural, é possível improvisar – plantas grandes e bonitas podem ser facilmente adaptadas para crescerem de forma saudável, e ainda levar verde para dentro de casa. Dentre as opções estão as palmeiras, figueiras e ipês – estas plantas, com luminosidade adequada e boas condições, vão ornamentar seu espaço interno, florescer e quem sabe, frutificar.

As árvores dentro de casa trazem o espírito de proximidade com a natureza (Reprodução/Internet)
As árvores dentro de casa trazem o espírito de proximidade com a natureza

 

Fonte: Correio Braziliense