Integração é a palavra de ordem

Casa em Joinville é uma aula de arquitetura

 

  (Foto: Chan)

Na faculdade de arquitetura, aprendem-se teorias e práticas de naturezas diversas, mas alguns conceitos são repetidos frequentemente no decorrer dos anos de estudo. Os bons projetos têm em comum algumas características, como o melhor posicionamento da construção no terreno, em relação aos aclives e declives e à iluminação natural, bem como as suas aberturas levam em conta não só a luz, mas também os ventos. Entretanto, apesar da repetição, nem todos os projetos do mundo real apresentam soluções bem-resolvidas que encarem todas as problemáticas apresentadas pela natureza de frente. Não é o caso desta grande casa joinvilense de 970 m², projetada pelos arquitetos do escritório Metroquadrado. Ela traz em si inúmeras pequenas lições àqueles que querem fazer boa arquitetura.

O chamado “partido” do projeto, ou seja, o seu desenho inicial, foi definido em função das características físicas do terreno, que, em parte, era plano e, noutro lado, apresenta um declive acentuado. Na parte horizontalizada, optou-se por locar o acesso da casa, tanto de pedestres quanto dos veículos – a garagem, por sua vez, está num nível semienterrado na parte debaixo, aproveitando o declive. A orientação da casa no lote foi pensada de modo a garantir a melhor insolação aos dormitórios. Foi uma escolha do trio de arquitetos que regeu a obra. Em termos de luz do sol, não há um cômodo que deva recebê-la em abundância obrigatoriamente. Em certos casos, opta-se por privilegiar as áreas comuns, noutros, a ala privada. Nesta casa, devido ao uso que os moradores dão aos quartos, a segunda opção se fez valer.

 

  (Foto: Chan)

 

“O que mais gostamos nesse projeto é a volumetria”, diz um dos seus criadores. “Os planos que surgiram com o recuo das esquadrias, a espessura das paredes e a adequação da casa no terreno contribuíram para um volume completamente integrado com o entorno, apesar da dimensão da residência”, explica. Um indício dessa integração é o bom uso das correntes de vento. Toda ventilação é cruzada. Na sala de estar, por exemplo, que é integrada com o espaço gourmet e o jantar, há dois grandes painéis de vidro, um voltado para o norte, e outro, para sul, que garantem a renovação do ar. No térreo, além das salas citadas, encontram-se a áreas de serviço e o escritório. Internamente, o destaque arquitetônico é a lareira reversível, que integra dois ambientes, funcionando tanto no estar quanto na varanda.

No andar superior, a distribuição dos ambientes é regida por uma passarela de circulação com mezaninos dos dois lados. Esta ponte liga a suíte principal aos demais dormitórios e à sala íntima. A separação do master bedroom visa dar privacidade ao casal. Os materiais escolhidos para os acabamentos transmitem acolhimento e aquecem a arquitetura contemporânea da casa. Predominam as cores escuras, como o marrom e o preto. Do lado de fora, há muito verde. O entorno é intensamente arborizado. O paisagismo foi feito pela firma Agrícola Boa Vista. Ao longo da varanda, há belos espelhos-d’água que compõem muito bem o cenário com o jardim. A piscina ocupa a parte mais inclinada do terreno. A palavra de ordem deste projeto é integração – seja dentro, entre os ambientes ou fora, entre a construção e a natureza.

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)
  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)

 

  (Foto: Chan)
Fonte: Casa Vogue
Anúncios

Decoração hi-tech investe em cores néon e muita tecnologia

O estilo futurista conta com formas arredondadas e exóticas, desenhos que fazem alusão ao espaço e cores contrastantes.

Todo o mobiliário foi especialmente projetado pelo designer búlgaro Jovo Bozhinovski - Reprodução/Internet

Todo o mobiliário foi especialmente projetado pelo designer búlgaro Jovo Bozhinovski.

O projeto, de Danilo Fideli, possui luzes de LED de cores diferentes e traz benefícios da Color therapy, que promete ajudar na revitalização do bom humor, vitalidade, stress e rejuvenescimento - Reprodução/Internet

O projeto, de Danilo Fideli, possui luzes de LED de cores diferentes e traz benefícios da Color therapy, que promete ajudar na revitalização do bom humor, vitalidade, stress e rejuvenescimento.

A decoração futurista investe em formas exóticas e abusa de cores contrastantes e néons (Reprodução/Internet)
A decoração futurista investe em formas exóticas e abusa de cores contrastantes e néons.
Um tablet em proporções maiories foi instalado na superfície da mesa - Reprodução/Internet
Um tablet em proporções maiories foi instalado na superfície da mesa.
Televisões de alta definição, computadores, iluminação LED, fogões e geladeiras com milhares de funções – a tecnologia está em todo canto da casa. No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hi-tech ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia.
A tecnologia é o que mais chama atenção na decoração futurista - televisões de alta definição, computadores e iluminação LED estão presentes em praticamente todos os ambientes decorados com esse estilo (Reprodução/Internet)
A tecnologia é o que mais chama atenção na decoração futurista – televisões de alta definição, computadores e iluminação LED estão presentes em praticamente todos os ambientes decorados com esse estilo.
Todas as funções do banheiro Hi-Tech Digital são controladas por controle remoto - Reprodução/Internet
Todas as funções do banheiro Hi-Tech Digital são controladas por controle remoto.
A banheira com design moderno inova com tela de LED que transmite imagens de paisagens  - Reprodução/Internet
A banheira com design moderno inova com tela de LED que transmite imagens de paisagens.
Cama com desing futurista pode ser o centro das atenções na decoração do quarto - Reprodução/Internet
Cama com desing futurista pode ser o centro das atenções na decoração do quarto.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
A decoração futurista investe em formas redondas e exóticas , faz alusão ao espaço e ao cosmos, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos - Reprodução/Internet
A decoração futurista investe em formas redondas e exóticas , faz alusão ao espaço e ao cosmos, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos.
A decoração futurista também pode ser infantil, além de colorida, deixa o quarto com um ar mágico - Reprodução/Internet
A decoração futurista também pode ser infantil, além de colorida, deixa o quarto com um ar mágico.
Com muita tecnologia, o box possui até entrada para o carregador do celular - Reprodução/Internet
Com muita tecnologia, o box possui até entrada para o carregador do celular.
A decoração futurista investe em formas arredondadas e exóticas e em desenhos que fazem alusão ao espaço, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa - o segredo está no equilíbrio - Reprodução/Internet
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
Levemente suspensa, a cuba deixa à mostra na bancada a silhueta dos desenhos estampados em seu fundo, criando um belo efeito de luz. O espelho é instalado sobre um painel de vidro com iluminação LED embutida. Quando acesos, os desenhos gravados no vidro criam uma ideia de tridimensionalidade - Reprodução/Internet
Levemente suspensa, a cuba deixa à mostra na bancada a silhueta dos desenhos estampados em seu fundo, criando um belo efeito de luz. O espelho é instalado sobre um painel de vidro com iluminação LED embutida. Quando acesos, os desenhos gravados no vidro criam uma ideia de tridimensionalidade.
No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hytec ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia - Reprodução/Internet
No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hytec ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa - o segredo está no equilíbrio - Reprodução/Internet
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
Com forte inspiração futurista, a cozinha hi-tech conta com os mais avançados aparelhos domésticos, geladeira e fogão de última geração em tom de metal - Reprodução/Internet
Com forte inspiração futurista, a cozinha hi-tech conta com os mais avançados aparelhos domésticos, geladeira e fogão de última geração em tom de metal.
As cadeira com iluminção de LED deixam a decoração do ambiente mais moderna - Reprodução/Internet
As cadeira com iluminção de LED deixam a decoração do ambiente mais moderna.
Fonte: CorreioWeb – Lugar Certo

China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça

Dois dos 19 andares do empreendimento cinco estrelas serão construídos debaixo d’água

 

Grupo de empresários investiu R$ 1,5 bilhão para erguer um hotel de luxo na base de uma caverna, localizada em uma pedreira na China. O empreendimento cinco estrelas vai contar com 19 andares, sendo dois deles construídos debaixo d’água e prevê ainda um aquário com paredes de vidro. As imagens a seguir detalham como será essa ousadia da arquitetura mundial. Visite e surpreenda-se.

 

  • China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça
  • O design do empreendimento de R$ 1,5 bilhão (ou 345 milhões de libras) é de responsabilidade de um grupo britânico. O luxuoso hotel de cinco estrelas está sendo construído dentro de uma profunda fenda cheia de água numa pedreira, na base da montanha Tianmenshan, na China.
  • China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça
  • O hotel-caverna tem nome: foi batizado de InterContinental Shimao. Os hóspedes vão poder fazer esportes aquáticos no lago e usar os rochedos nas proximidades de escalada e bungee jumping. A expectativa é que a obra termine em três anos, ou seja, os hóspedes poderão gozar da estrutura a partir do final de 2015.
  • China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça
  • A diária mais simples já tem uma projeção de preço: R$ 669,78 ou 200 libras. A construção de R$ 1,5 bilhão terá 380 quartos distribuídos por 19 andares — dois dos quais serão erguidos debaixo d’água.
  • China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça
  • O hotel foi projetado em respeito a paisagem — uma caverna na beira de uma pedreira. Ele será equipado com um teto ecofriendly, ou seja, será ecologicamente responsável, com uso de recursos naturais, como a luz do sol como energia.
  • China torra R$ 1,5 bilhão para construir hotel de luxo em caverna. Conheça
  • O hotel-caverna de cinco cinco estrelas terá um aquário com paredes de vidro que dão para um restaurante e quartos, além de uma piscina e um centro desportivo, uma sala de banquetes e instalações para conferências. Li Xuyang, gerente sênior de Shimao Group, disse ao Daily Mail que o hotel faz parte do projeto maior para construir Shimao Shanghai Wonderland, um parque temático em grande escala.

 

Fonte: R7

8 CASAS NO PENHASCO

Villa Amanzi – Phuket, Tailândia

 Por Original Vision Architecture
First Crescent –  Camps Bay, África do Sul –

 
  Por SAOTA
Nettleton 198 – Cidade do Cabo, África do Sul
 
Por SAOTA
Openhouse  Por XTEN Architecture 
Nettelton 199 – Clifton – Cape Town, South Africa

 
Por SAOTA 
Carpinteria Foothills Residence – Carpinteria, Estados Unidos

Por Neumann Mendro Andrulaitis Architects Architecture

Landscape Fence – Áustria

Por Heri&Salli Architecture

 

 

 

Maleny House 

Por Bark Design Architects 
Fonte: Blogspot Arquitêta 

Sobre o mar de Miami

Projeto de prédio inclinado e suspenso venceu concurso para integrar a paisagem da cidade

 

O Miami Lift, projeto de prédio inclinado sobre o Oceano Atlântico. Foto Divulgação / DawnTown

Miami, nos Estados Unidos, é o paraíso das compras, com praias maravilhosas e mistura de culturas. Por isso, o local se tornou um dos mais cobiçados destinos turísticos do mundo, principalmente para brasileiros. Agora, ganhará notoriedade também pela arquitetura. O projeto Miami Lift venceu a competição 2013 DawnTown Landmark.

Trata-se de um incrível prédio inclinado e suspenso sobre o mar, ideia do escritório de Nova York Dror. A estrutura triangular parece ter sido erguida do chão e flutuar sobre um lago conectado ao Oceano Atlântico.

O objetivo dos designers é explorar Miami como uma cidade de férias e diversão. Por isso o local será composto por espaços para turistas, com restaurante, café, teatro, livraria, galeria de arte e lojas, todos com vistas panorâmicas para a cidade ou para o mar. Apesar de não ser exatamente um prédio – a inclinação é de cerca de 30° -, serão dez andares, cercados por um parque com esculturas.

 

O prédio visto de uma janela de avião. Foto Divulgação / DawnTown

Imagem do interior do projeto. Foto Divulgação / DawnTown

º Lugar: 

LEMONADE SQUARE
Membros da equipe: David Giraldeau, Alexandre Guilbeault
Locations: Montreal, Canadá

 

Boards_08  Boards_08

º Lugar: 

TORRE DE LAS AMERICAS

Membros da equipe: Mauricio Gonzalez, Alfredo Andia
Localização: Miami, FL, EUA / Santiago, Chile

11155_right  11155_left

 

Menção Honrosa 

GREAT SPIRIT WOODS
Membros da equipe: Jakub Frolik & Adalberto Kolář
Localização: Brno, República Checa

89577_poster_A  89577_poster_B

Fonte: Revista Casa e Jardim / DawnTown

Conceito de edifício com jardins

Se você está cansado de olhar para projetos normais, este post é certamente vai surpreendê-lo!

Este edifício, modelado pelos arquitetos MAD será localizado em Chonquing, China.

Conectados por uma estrutura cilíndrica, cada andar foi colocado um pouco fora do centro, dando ao edifício uma sensação única.

Pisos abstratos com janelas de vidro tornam o edifício surreal e os jardins nas varandas complementam sua beleza.

Os pisos são projetados para criar uma ilusão de cada variável sobre a outra. O modelo é tal que reúne natureza e metrópole urbana, criando assim uma obra-prima que iria agradar a todos!

Dê uma olhada.

urban forest - from far away

urban forest - image

urban forest - in the day

urban forest building

urban forest building amongst others

urban forest - similarities

urban forest - building magnificance

urban forest - images from the floors

urban forest - partially

urban forest - inside

urban forest- levels of the building

urban forest- partial view

 

Fonte:  Home designing

Escadas funcionais ajudam a aproveitar espaços

Com os espaços cada vez mais reduzidos de casas e apartamentos, os arquitetos têm buscado soluções para aproveitar todos os cantos do ambiente. Uma delas está nos novos designers de escadas.

 

escada vira espa� de divers� e funcionalidade

(A arquiteta sul-coreana Lua Hoon projetou uma escada que une escadaria, estantes, espaço de leitura, escorregadeira)

(Cozinha acoplada com escada)

(Escada aliada a decoração da casa)

(Escadas que decoram e guardam utensílios)

 

Nas mãos dos profissionais, elas deixam de ser somente uma estrutura que une dois ou mais planos de níveis diferentes – o que acaba resultando em perda de espaço – para ganhar novas funcionalidades.

 

(Escadas que viram estantes)

(Cantinho de socializar embaixo de escadarias)

(Escada com cara de estante de livro)

(Escada rústica com uma variedade de armários)

 

Com criatividade, as escadas podem compor a decoração do local e se transformar em jardins e móveis como estantes, armários, arquivos e até diversão para a criançada.

 

(Espaço vazio de escada vira espaço verde)

(Um barzinho acoplado com a escada)

(Um escritório montado embaixo de escadas)

(Variedade de opções)

 

 

Fonte: Portal EcoD

A Cobertura Mais Cara do Mundo

Uma residência inacreditavelmente luxuosa em Mônaco.

A cobertura abrange 33 mil m² e possui uma incrível piscina com toboágua.

A luxuosa cobertura ainda está em construção, com previsão de término para 2014.

A cobertura será a mais cara do mundo, custando mais de US$ 250 milhões.

Os cômodos serão requintados e muito luxuosos.

Além da piscina com borda infinita há também uma piscina no interior.

Sem contar da área fitness, com equipamentos de última geração.

A entrada do prédio é fascinante.

O hall é muito luxuoso.

A vista para Mônaco é de tirar o fôlego.

 

Fonte: Dtail

Nicho no Banheiro

As idéias surgem a partir de uma necessidade, e a criação de nichos dentro do box surgiu da necessidade de otimizar espaço dentro desse espaço cada vez menor nos empreendimentos.

Funcionou tão bem que hoje é até difícil achar um box que não tenha um nicho. A criatividade dos profissionais e dos fornecedores tem revolucionado constantemente esse pequeno e grande detalhe, com diferente tamanhos, diferentes materiais, diferentes iluminações e apresentando assim uma proposta diferente de outra.

20120917-202512.jpg

20120917-202559.jpg

Podem ser executados na própria alvenaria existente, pode ser construído uma nova alvenaria com o nicho, ou ainda criar painéis de madeira ou de drywall com esse espaço.

Seja qual for a forma de construção, é importante levar em conta as medidas de quem vai usar!

Aconselho uma altura inicial de 1,20m do chão, assim quando o usuário estiver lavando o cabelo não vai bater o cotovelo na quina e ainda sair machucado do banho!!

20120917-220829.jpg

20120917-220400.jpg

Porém, se a parede onde ficará o nicho não for próxima ao chuveiro, você pode coloca-lo mais alto, já que esteticamente fica bem bacana, e ninguém sai machucado do banho.

20120917-202225.jpg

20120917-220607.jpg

O ideal é que a parte interna do nicho acabado tenha no mínimo 30 cm de altura e 10 cm de profundidade.

Mas cuidado, se você vai construí-lo, as medidas do seu revestimento deve ser descontado, por exemplo, se de profundidade o ideal é 10 cm e o material utilizado é um mármore com 2 cm de espessura, então a profundidade da alvenaria para esse nicho deve ser de 12 cm. O mesmo acontece para as laterais e as bases.

20120917-220747.jpg

20120918-001739.jpg

Hoje já possível usar materiais como mármore, marmoglass, corean, porcelanato (tem ainda os que imitam cimento queimado e dão um acabamento mais rústico), pastilha, madeira tratada, espelho, seixos… tem pra todos os gostos.

Outro detalhe é o acabamento, o mais comum é a marmoraria fazer o nicho como uma peça inteira, pronta pra chegar na obra e ser encaixada no buraco da parede, o mesmo pode acontecer com a madeira, e o material utilizado no nicho pode ser diferente do utilizado na parede, o que faz toda a diferença dando contraste de material e sensações de profundidade, além de destacar a peça como uma obra de arte dentro do banheiro.

20120917-221010.jpg

20120917-220941.jpg

Outra opção mais econômica é como na foto abaixo, revestir o nicho com pastilhas ou mesmo com a mesma pedra utilizada na parede do box. O banheiro ganha um diferencial mas não fica um acabamento tão glamouroso.

20120917-220717.jpg

20120917-220442.jpg

Fonte: Decorando com classe

Drywall conquista espaço dentro de casa

Sistema de construção a seco ganha corpo em projetos residenciais, com inúmeras opções estéticas para renovar o imóvel.

 (Eduardo Almeida/RA Studio)

Renovar a casa é sempre bom, ainda mais quando se pode usar um recurso que é prático e garante beleza aos ambientes. Para isso, o drywall é uma ótima opção. Além de econômico, o sistema de construção a seco tem entre suas vantagens a versatilidade na manutenção, na mudança de leiaute e na estética, como apontam profissionais da arquitetura e do design de interiores.

A arquiteta Adriana Morávia explica que drywall é uma palavra em inglês, que tem como tradução parede seca. Isso significa que não existe necessidade do uso de argamassa para a sua construção, como na alvenaria. “É uma tecnologia que substitui as vedações internas convencionais (paredes, tetos e revestimentos) de edifícios de qualquer tipo, consistindo de chapas de gesso acartonado de alta resistência mecânica e acústica, aparafusadas em estruturas de perfis de aço galvanizado. São mais leves e com espessuras menores que as das paredes de alvenaria.”

Muito utilizado na Europa e nos Estados Unidos, segundo afirma a arquiteta da Knauf do Brasil, Fabíola Souza, o drywall é um sistema para construção de paredes, tetos e forros. “Por fora, parece uma parede de alvenaria. Por dentro, tem alta tecnologia: combina estruturas de aço galvanizado com chapas de gesso de alta resistência mecânica e acústica, produzidas com rigoroso padrão de qualidade.”

A arquiteta Adriana Morávia diz que o sistema pode ser empregado desde em forros (foto do alto) e paredes até em mobiliários (Eduardo Almeida/RA Studio)
A arquiteta Adriana Morávia diz que o sistema pode ser empregado desde em forros (foto do alto) e paredes até em mobiliários
O resultado dessa receita de construção, que vem atraindo cada vez mais o interesse de quem quer conjugar praticidade e beleza, pode ser visto nos mais diversos locais de um imóvel. “O drywall pode estar onde a criatividade do arquiteto e designer estiver, ou seja, no teto, na parede, no revestimento, fazendo volumes, vazios, curvas e muito mais”, afirma Fabíola.

Para escolher como ele será utilizado em cada ambiente, é preciso ficar atento aos tipos de chapas disponíveis no mercado. “Existem três chapas principais do sistema: Chapa RU (resistência à umidade) para áreas molhadas, ST (standard) para áreas secas e teto e RF (resistência ao fogo) para áreas que necessitam de proteção passiva contra o fogo. Com as três chapas, atendemos todos os ambientes internos da residência”, informa Fabíola.

PLANEJAR 

Para se ter uma ideia da versatilidade do sistema, ele pode ser empregado desde em forros e paredes até em mobiliários. Para escolher como será seu uso, a arquiteta Adriana Morávia conta que, como em qualquer obra, planejamento é a palavra-chave. “Ele aceita diversas configurações, como o emprego de placas simples ou duplas, diferentes espessuras, enchimentos que proporcionam maior conforto térmico e acústico e, ainda, opções para áreas úmidas. Portanto, é preciso que haja especificações do profissional (arquiteto, engenheiro ou designer de interiores), levando em conta os usos dos ambientes.”

Obras ficam mais organizadas e limpas, sem os entulhos dos métodos construtivos convencionais (Eduardo Almeida/RA Studio)
Obras ficam mais organizadas e limpas, sem os entulhos dos métodos construtivos convencionais
O projeto também é essencial para seguir critérios técnicos que garantam não só a beleza, mas também a funcionalidade no uso do drywall. “Nele, definem-se os pontos de paredes e forros que merecem reforço – a fim de aguentar o peso de lustres, pias e móveis – e determina-se a colocação de lã mineral no interior do sistema para incrementar o isolamento acústico”, diz Adriana.

A arquiteta Estela Netto confirma que o drywall tem inúmeras possibilidades de emprego. “É uma ferramenta versátil, de rápida execução, com pouca produção de lixo. Enfim, um material que pode desde rebaixar tetos até construir paredes de vedação de um edifício inteiro.”

Paredes divisórias em linhas curvas, colunas, nichos e mobiliário fixos, como estantes, são outras possibilidades apontadas pela designer de interiores Iara Santos para a utilização do sistema. “Seu uso vai depender também da necessidade de isolamento acústico e térmico. De qualquer forma, devido à sua praticidade na construção, permite uma obra mais rápida e seca e com custo mais baixo do que a de um sistema comum”, destaca.

Várias possibilidades 


Flexibilidade de utilização faz com que o drywall ganhe cada vez mais adeptos. O sistema permite a composição com outros materiais, garantido sofisticação aos projetos

Sistema pode ser usado em paredes divisórias em linha curvas, colunas e nichos, como aponta designer de interiores Iara Santos (Eduardo Almeida/RA Studio)
Sistema pode ser usado em paredes divisórias em linha curvas, colunas e nichos, como aponta designer de interiores Iara Santos
A maior liberdade para criação tem feito com que o drywall seja um sistema muito bem-vindo pelos arquitetos, que podem abusar da sua imaginação. “É um material flexível, que permite a obtenção de formas curvas e diferenciadas com a mesma facilidade com que são montadas estruturas retilíneas. Além disso, podem ser utilizados não somente como divisórias, mas também na criação de mobiliários e elementos decorativos, tornando o projeto personalizado”, conta a arquiteta Adriana Morávia.

Todas essas possibilidades são potencializadas com o uso da iluminação. “O forro feito de gesso permite uma distribuição da iluminação no ambiente e a instalação de luminárias embutidas, dando mais leveza a ele. Mas é preciso levar em conta o espaço entre o forro e a laje, que pode ficar pequeno para embutir certos tipos de luminária. Geralmente, a medida utilizada é de 15 centímetros de vão”, explica Adriana.

De acordo com a arquiteta da Knauf, Fabíola Souza, o projeto luminotécnico voltado para o drywall não difere do que é realizado para a alvenaria ou teto convencional. “Mas gosto das iluminações de LED, que proporcionam luz fria e quente, têm longa duração e geram menor gasto de energia”, defende.

Assim como há uma variedade de usos para o sistema, que há muitas possibilidades para o uso da iluminação, segundo a arquiteta Estela Netto. “Podemos utilizar todos os tipos de lâmpada, luminárias, até mesmo as pesadas, desde que se crie um reforço para tal. Utilizamos as luminárias embutidas ou mesmo as de sobrepor ou pendentes.”

E o sistema não permite apenas a instalação de fiação elétrica e cabeamento de computadores. Também é possível passar por ele tubulações hidráulicas, como aponta Adriana. “Assim, o drywall pode ser usado em áreas molhadas, como banheiros e cozinhas, por exemplo. Nesse caso, deve-se fazer a instalação hidráulica primeiro e depois o fechamento com as placas de gesso.”

RESISTÊNCIA 

Para a montagem de paredes drywall nesses ambientes, recomenda-se o uso de chapas resistentes à umidade, também conhecidas como chapas RU, como alerta Adriana. “Nessas chapas, a massa de gesso contém um aditivo, denominado hidrofugante, que aumenta sua resistência ao contato com a água. Essas paredes, antes de receberem acabamento (que pode ser pintura ou revestimento com azulejos, mármore ou granito, entre outros), devem ser impermeabilizadas em sua base até a altura de 20 centímetros, no mínimo.”

A designer de interiores Iara Santos confirma que o drywall permite a instalação de sistemas hidráulicos e elétricos. “Eles podem passar por dentro das placas entre os perfis, pois são perfurados para tal. Tudo vai depender das espessuras dos perfis”, conta. O mesmo é válido com relação à viabilidade de emprego de acabamentos em cerâmica, pastilhas e mármore, por exemplo. “O assentamento é feito com a argamassa colante ou parafusado. Mas antes é necessário verificar o peso dos materiais de acordo com especificações técnicas do fabricante.”

Segundo Adriana Moravia, o sistema aceita qualquer tipo de acabamento: pintura, textura, azulejos, pastilhas, mármore, granito, papel de parede, lambris de madeira etc. Além disso, recebe bem objetos decorativos, desde que respeitado o limite da carga suportada. “A fixação de objetos em paredes drywall é simples. Devem-se usar buchas e parafusos específicos para esse sistema.”

Com buchas específicas, podem-se fixar objetos de até três quilos diretamente na placa de gesso instalada no forro, como informa Adriana. “Se tiverem de três a dez quilos, as cargas devem ser fixadas nos perfis da estrutura do forro. Acima desse peso, as peças devem ser presas à laje ou à estrutura do telhado, pois é nela que deve incidir o peso.”

Além de econômico e estético, drywall é altamente resistente para a construção de paredes, permitindo instalação de fiação elétrica sem problemas (Eduardo Almeida/RA Studio)
Além de econômico e estético, drywall é altamente resistente para a construção de paredes, permitindo instalação de fiação elétrica sem problemas

 

Destaque nos últimos anos

Na Europa e nos Estados Unidos, o drywall (ou gesso acartonado) é um material utilizado na construção civil há quase um século. No Brasil, porém, ele só ganhou certo destaque nas últimas duas décadas. O que ajudou a popularizar o sistema por aqui foi a instalação de grandes fabricantes multinacionais no país.

» Como utilizar: o drywall pode ser utilizado na construção de paredes, forros, revestimentos e mobiliários integrados. Ou seja: para quase tudo. Para áreas externas, a sugestão é usar placas cimentícias de alta resistência.

» Onde utilizar: em áreas secas ou úmidas. Recomenda-se o uso de chapas verdes (RU: resistentes à umidade) em áreas úmidas. Nas áreas secas são especificadas chapas cinzas (ST: standard). Existem também as chapas rosas (RF: resistentes ao fogo), que são recomendadas para áreas que exijam alta resistência ao fogo.

» Revestimentos adequados: podem receber acabamentos em cerâmica, pastilhas, mármore, granito, pintura à base de resina epóxi e madeira, entre outros. Recomenda-se a utilização de argamassa colante flexível apropriada ao tamanho das peças selecionadas.

» Fixação de carga: para furar a parede, indica-se a utilização de brocas específicas e de buchas para ocos. Nos locais em que serão fixados objetos pesados (como armários de cozinha e TVs) é providencial criar um reforço com barrotes de madeira ou chapas metálicas internas. As placas entre dois montantes de 60 centímetros aguentam tranquilamente até 18 quilos.

» Manutenção e limpeza: o drywall é altamente durável, mas o proprietário precisa seguir algumas regras de manutenção. O ideal é realizar limpeza anual, com água, detergente líquido neutro e esponja macia. Produtos abrasivos não são recomendados.

Fonte: Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas em Drywall