Investir em cores neutras é o caminho para decorar sem cometer erros

Especialistas ensinam como ter equilíbrio sem monotonia na criação dos ambientes.

 

Quer fazer com que a decoração de sua casa nunca saia de moda? Invista em cores neutras. O segredo é apostar em tonalidades que não são contrastantes e para isso há uma longa lista de opções. Branco, preto, creme, bege, cinzento e suas nuances são algumas delas. O legal desse estilo é a versatilidade, ou seja, combina com tudo. A decoradora Nara Cunha diz que as cores neutras são atemporais, versáteis e conferem aos ambientes uma sensação de tranquilidade. “Essas são algumas das razões pelas quais escolhemos os tons neutros, que variam do branco, preto, beges aos acinzentados. E, por isso, podem ser utilizados em todos os ambientes da casa. Não tem como dar errado”, comenta.

Para escolher as cores neutras, o arquiteto Hugo Sasdelli conta que o primeiro critério é definir a cartela de cores a ser utilizada. “Tendo feito isso, a ‘brincadeira’ pode começar. As cores neutras ficam nas cartelas dos tons marrons, beges, cinza, preto e branco; temos uma gama enorme. Mas ser neutro não significa não ser ousado. Podemos elaborar ambientes fantásticos utilizando apenas cores neutras”, revela.

Há várias maneiras de utilizar as cores neutras, conforme a decoradora Beth Márquez. Na composição, pode-se partir de uma cor base e suas várias gamas ou combiná-las com outros tons neutros. “Como cinza com verde acinzentado, cinza com marrom ou cinza com azul acinzentado. Nos tons de bege podemos variar na mesma gama, mas com texturas diferentes também acrescentar algum outro tom neutro, como marrom ou cinza. Nessas combinações podemos introduzir preto ou branco, mesmo em ambientes predominantemente brancos ou com muito preto.”

As cores neutras podem ser utilizadas em quase todos os ambientes, dependendo do desejo dos moradores, de acordo com Beth. “Construtoras em geral baseiam seu detalhamento de banheiros, cozinha e pisos de salas em tons claros e neutros por serem mais fáceis de agradar, sendo mais impessoais e podendo receber qualquer projeto de decoração.”

O começo

Muitas são as cores neutras e todas são imprescindíveis para um projeto de decoração, como avalia o arquiteto e designer de interiores Luís Fábio Rezende de Araújo. “Costumo sempre dizer que os tons neutros são a base de todo o projeto, para, sobre ela, você pontuar ou abusar das cores de destaque. Usar uma cor neutra não tem erro, mas utilizar somente elas pode deixar o ambiente comum e nada atrativo”, adverte.

Para Luís, é necessário associar as cores destinadas a uma determinada decoração. “Entre todas as cores neutras podemos destacar os tons de bege, cinza, branco e off-white. No entanto, neutro não necessariamente significada claro. Há tons com mais personalidade e mais intensos, como o castor, caramelo, marrom, preto e chumbo. São cores imponentes, mas que harmonizam com qualquer outra cor predominante ou decoração.” O arquiteto admite sua preferência pelos tons mais secos, mais acinzentados. “Eles deixam a tonalidade mais chique. Há alguns tons que acabam puxando para o amarelo (no caso do bege) ou azul (no caso do cinza). Com esses não gosto de trabalhar”, admite Luís Araújo.

Equilíbrio acima de tudo
Projetar o uso de vários tons de cores neutras é fundamental para garantir ambientes bonitos em casa. Investir em iluminação é outra dica útil para criar espaços mais atraentes

A harmonia na escolha das cores é o grande segredo para quem quer acertar na composição dos ambientes utilizando cores neutras. De acordo com o arquiteto e designer de interiores Luís Araújo, os tons devem conversar entre si e dividir o mesmo patamar de atenção. “O contraste forte é prejudicial na decoração”, afirma. O profissional diz que o contraste deve ocorrer, sim, mas de forma muito suave. “Para que nenhuma peça sobressaia em relação à outra apenas por ter uma cor mais vibrante e chamativa. Ambientes que em sua maioria são decorados com tons claros podem receber pequenas peças de decoração coloridas ou mesmo seguindo a linha dos neutros de cor”.

A partir daí pode-se perceber que, mesmo optando por uma decoração neutra, isso não quer dizer que tudo é permitido, como diz o arquiteto Hugo Sasdelli. “Pode-se pensar que, neste caso, não há risco de errar. Mas isso é um engano, pois o ambiente não pode se tornar um festival dessas cores, que têm muitos tons”, comenta.

Assim, o ideal é eleger, no máximo, três tons a serem utilizados e compor com madeiras diferentes, que são naturalmente neutras. “Isso para não ficar tão ‘conjuntinho’ e, ao mesmo tempo, não perder a harmonia e o aconchego”, explica Hugo. O arquiteto também desaconselha o uso de apenas um tom na decoração. “Isso poderia resultar, às vezes, em um ambiente sem personalidade”, justifica.

Para quem adora o branco, no entanto tem receio de que a casa fique com cara de hospital, Hugo Sasdelli recomenda a inserção de cores em alguns objetos de composição, como almofadas, quadros e vasos, que podem ter plantas e flores. “Um ambiente neutro permite uma escolha variada de adornos, objetos de arte e tapetes. Mas tem de se saber sempre onde se destaca.”
A decoradora Beth Marquez também recomenda o emprego de cores em detalhes, no caso de quem quer investir no branco na decoração. “Para não cairmos no uso excessivo de cores neutras, podemos contrabalançar com a utilização de muita madeira em painéis, cadeiras, mesas e nos detalhes, como tapetes e obras de arte”, indica.
Escolhê-los é uma tarefa mais fácil quando comparado a outros tipos de decoração, como diz Beth. “Algumas combinações neutras deixam o ambiente harmônico, como branco, bege e preto; branco e bege com várias texturas, principalmente nos tecidos de sofá; cinza, preto e branco; tons pastéis claros; cinza com tons marrons acinzentados e cinza e seus tons degrades”, sugere.

Para Hugo Sasdelli, a harmonia na escolha do mobiliário não significa, necessariamente, a escolha de todos eles de um material apenas. “Acho, inclusive, que não se deve fazer isso. É preciso mesclar coisas que combinem e colocar alguns pontos que quebrem, ou seja, causem um impacto.”

No padrão

Já na escolha dos eletrodomésticos, o arquiteto tem opinião diferente. Neste caso, Hugo prefere quando eles seguem uma mesma linha. “Ou seja, se vamos usar o inox, que é o mais usado atualmente, seguiremos então toda a linha, e assim por diante. Fica salvo disso elementos que serão introduzidos para realmente se diferenciarem do restante, como as geladeiras vintage revisitadas. Dependendo do ambiente, a intenção será realmente destacar o objeto em questão do restante.”

A harmonia quando se trata dessas escolhas não significa que todos os ambientes devem ter os mesmos materiais, como diz Luís Araújo. “Mas quando você for escolher os acabamentos, é muito interessante que um cômodo converse com o outro. Seja na escolha da mesma madeira, por exemplo. Assim, se algo escolhido tem muita textura, o ideal é que o próximo material seja mais liso. Se um for brilhante, o outro pode entrar fosco, e assim por diante.”

 Como escolher as cores neutras a serem usadas nos ambientes?
Temos que pensar a partir das peças maiores. Se for uma sala, devemos começar pelo sofá. Se ela for pequena, ele não pode ser em tom escuro, pois isso dará a sensação de que ele ocupa todo o espaço. Se escolher trabalhar a sala em tons de bege, a sugestão é ter um sofá na cor fendi, muito em alta no momento. Aí você pode colocar mesas de complemento em madeira marrom, almofadas em bege, marrom e camurça e um tapete em um dos tons das almofadas. Nesse caso, pode-se trabalhar também acessórios em tons claros de verde.

Quais são as dicas para tornar o ambiente aconchegante, prático, funcional e, ao mesmo tempo, barato?

Um ambiente para ser aconchegante precisa de cortinas, tapetes e quadros e, com certeza, ter o perfil do morador. É importante destacar que as cortinas devem ser nas cores das paredes ou, no máximo, na cor do tom mais claro usado no ambiente. Os tapetes de material sintético são mais práticos pela facilidade de limpeza e mais acessíveis. Os quadros vão muito da personalidade do morador, mas não devem ser de muito destaque, senão podem roubar a cena.

O que dá certo na elaboração de um projeto como esse?

A escolha de um mobiliário clássico em consonância com a tonalidade neutra das paredes e revestimentos e o casamento com algumas peças de decoração em cores mais vivas é sempre uma grande aposta. Dessa forma, você terá sempre uma decoração que não sai de moda e pode trocar uma peça de destaque eventualmente, mas a base será sempre atemporal e elegante.

Design cheio de potencial

Para destacar e valorizar os elementos de uma decoração neutra, é essencial investir, ainda, em um projeto de iluminação, explica o arquiteto e designer de interiores Luís Araújo. “Essa é uma das partes mais importantes em um projeto de decoração ou mesmo de arquitetura”, ressalta. Segundo ele, um bom projeto de iluminação pode melhorar uma concepção mediana de decoração e um fraco estudo luminotécnico pode prejudicar o resultado de um excelente projeto. Para que seja escolhido o recurso mais adequado ao espaço, o estudo deve ser feito sobre o leiaute finalizado. “E, se possível, já com a definição dos tons a serem usados no espaço”, acrescenta Luís Araújo.

Para Nara Cunha, independentemente das cores utilizadas no projeto, a iluminação é um item muito importante em qualquer decoração. “A possibilidade de usar várias intensidades de luz e efeitos é sempre muito bom. Mas a iluminação no ambiente neutro não tem a necessidade de ser muito intensa, já que o branco (ou tons claros) refletem muito bem a luz.”

Conforme Hugo Sasdelli, é preciso que a iluminação seja pensada junto com o uso proposto. “Se é um ambiente de dupla função, como relaxar e estudar, temos de pensar em um jogo de iluminação independente, que permita a realização com conforto para as duas atividades. O ideal para o ambiente de estudo, trabalho etc é uma iluminação mais difusa, mais clara”, indica. Para receber e relaxar, Hugo sugere uma mais focada, pontuada onde se quer os destaques do ambiente.

Tendência
A decoradora Beth Marquez aponta o uso de arandelas, de vários tipos e tamanhos, como uma marca desse do uso do recurso na decoração neutra. “Além disso, a quantidade de peças de iluminação embutidas foram reduzidas. Algumas decorações quase aboliram o forro de gesso, usando peças marcantes de designer, tornando a iluminação mais limpa. O uso de LED também vem aparecendo com frequência, e a luz fria, mais econômica, vem sendo muito usada nos ambientes frios, como cozinha, banhos, lavanderias.”

Para fazer um projeto que obtenha melhores resultados, o mais indicado é que se recorra à ajuda de um profissional, que cobrará pelo serviço segundo a forma de contratação. “Há inúmeras possibilidades de orçamento para um mesmo projeto. O custo vai variar entre as dimensões do espaço, quantos ambientes serão contemplados no projeto, se haverá grandes projetos de detalhamento ou se será necessário apenas decorar um espaço já concretizado”, explica Luís Araújo.

Fonte: Correio Braziliense

Terrários surgem como opção para quem quer ter um jardim dentro de casa

Um pedacinho do mundo na palma da mão – esta é a ideia dos terrários que permitem ter um mini jardim dentro de casa sem ter muito trabalho

 

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
Práticos, bonitos e facéis de fazer, os terrários são a reprodução de um pequeno ecossistema dentro de um recipiente de vidro. Por isso, sempre foram muito usados em aulas de ciências para ensinar sobre o ciclo da água e o crescimento das plantas. Hoje, são tendência na decoração, com versões sofisticadas, que podem ser usadas, por exemplo, como arranjo de centro de mesa ou como enfeite vertical de parede.

Lidiane Piekarski, técnica em paisagismo e dona do blog ABC das Suculentas, explica que o número de pessoas procurando terrários tem aumentado, mas que a maioria não quer ter muito trabalho com a manutenção, quer mais uma peça de decoração do que uma planta. “Esse mercado vai se expandir”, prevê.

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)
A montagem desse minijardim é um convite à imaginação – podem-se usar pedras diversas e areia colorida, formando diferentes camadas sensoriais. A escolha das plantas também interfere na apresentação. Lidiane, por exemplo, é especialista nas chamadas suculentas, plantas de clima seco, e monta terrários mais abertos, com bastante areia, o que cria um clima desértico. Os mais tradicionais são mais úmidos, com espécies de bromélias, heras e musgos. Estes tendem a ser mais fechados, para criar o aspecto de floresta em miniatura.

A paisagista Rose Antonelli explica ainda que os terrários com plantas suculentas e outras espécies que têm maior capacidade de armazenamento são os ideiais para quem quer uma peça aberta. Já quem pretende usar plantas que demandam mais água deve optar por vidros com tampas ou vedar o terrário com papel filme, o que assegura a manutenção do microclima que se cria ali. Outra opção é escolher vidros mais afunilados, cuja forma permite um melhor retorno da água que se forma na paredes pela transpiração das plantas. Assim, as gotas voltam mais rápido ao “solo”.

Os formatos podem ser dos mais variados, atendendo o gosto e a necessidade de cada um, mas Rose alerta que, quanto menor o recipiente, mais difícil a manutenção. Na hora de escolher o pote, observar a dinâmica de crescimento do espécime é fundamental. “Deve-se conhecer a planta e imaginar qual seria o tamanho natural dela daí a um ano, para que não sofra por falta de espaço.” A espessura do vidro é outro aspecto importante — não pode ser muito frágil, para evitar rachaduras.

Os terrários se mostram como uma opção versátil, que é moldada de acordo com o gosto de cada um. Podem ser simples, sem elementos adicionais, apenas recriando um ecossistema; podem ser fechados, tendo assim um crescimento independente; ou abertos, permitindo intervenções. Existem os mais sofisticados, com cores e plantas diferentes, arrumados em vidros de modelagem ousada, e também os despojados, criados até mesmo em potes reutilizados. Viu? Não há motivo para não tentar montar um com a sua cara.

Cultive seu jardinzinho

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)

Elementos

– Recipiente de vidro: formato e tamanho de sua escolha.
– Carvão ativado: ajuda na absorção de cheiros e evita o apodrecimento do terrário. Pode ser o mesmo usado em churrasqueiras, desde que seja moído.
– Substrato de terra: é mais leve que a terra comum, não se solidifica facilmente, permanecendo fofo para as raízes. Comprado em supermercados, já vem com a quantidade correta de adubo.
– Mudas e plantas: de livre escolha, desde que o tamanho e a expectativa de crescimento se adequem ao vaso escolhido.
– Pedras decorativas, areia e acessórios: são opcionais. Podem ser simples, como camadas de musgo, ou vermiculito, espécie de cortiça triturada, que ajuda também na manutenção da umidade do terrário. Areias coloridas, conchas e miniaturas também podem ser usadas.

Montagem

– A primeira camada é a de carvão. Em caso de vidros muito compridos, recomenda-se o uso de um cone de papel, evitando que a fuligem suje as paredes. Depois de colocar o carvão, faz-se uma pequena limpeza da fuligem que porventura tenha escapado.
– Em seguida, podem vir camadas de musgo, vermiculito ou areia decorativa, incrementando o terrário.
– O próximo passo é a adição do substrato e seu assentamento. Aqui, o cone de papel pode ser usado novamente, evitando que o vidro fique sujo.
– É o momento de adicionar as plantas. As espécies, que podem ser compradas ou retiradas de jardins, devem ser totalmente lavadas e estar livres de micro-organismos, que podem prejudicar o seu desenvolvimento. As raízes devem ser encobertas — a planta fica firme no solo.
– São introduzidos os elementos opcionais. Pequenas pedrinhas podem compor mais uma camada e as maiores podem ser colocadas nos locais de preferência. Muitos usam conchas e miniaturas. Em terrários mais úmidos, as pessoas costumam usar pequenas figuras de rãs e sapos. Quando a abertura do vidro é larga, são colocadas miniaturas de bancos, pessoas e outros elementos pitorescos.
– Por fim, regamos o terrário. A quantidade de água varia de acordo com o tamanho e o tipo de planta escolhida. Após um ou dois dias, se for o caso, o terrário pode ser vedado, criando o seu microclima. Em terrários abertos, deve-se ficar atento à reposição periódica de água. Em geral, devem viver em ambientes com muita luz, evitando a exposição direta ao sol, para que não ocorra um superaquecimento no microclima interno.
– A técnica em paisagismo Lidiane Piekarski monta terrários como este, aberto, colorido e rico em suculentas

 (Lidiane Piekarski/Divulgação)

 

Fonte: Correio Braziliense

Dicas para Decorar Sala Pequena

Muitas vezes não é possível realizar os sonhos, como ter uma casa grande, por exemplo, com muito espaço para crianças brincarem ou para somente guardar com folga todos os seus pertences. Mas mesmo morando em uma casa pequena, e tendo que decorar uma sala pequena, é possível ter uma bela decoração, que além de deixar o ambiente enfeitado ainda pode ser funcional, ajudando você a guardar e organizar todos os seus objetos.

 Para decorar uma sala pequena basta utilizar alguns truques que deixam visualmente o espaço maior (Foto: Divulgação)

Para decorar uma sala pequena basta utilizar alguns truques que deixam visualmente o espaço maior.

Como Decorar Sala Pequena

A primeira providência a ser tomada quando uma sala é pequena e você quer criar ilusão de espaço mais amplo, é averiguar onde você irá posicionar o espelho ou os espelhos. Pois espelhos possuem o poder de criar amplitude ao ambiente onde estão posicionados. E se você puder revestir uma parede inteira com um espelho o efeito será ainda mais evidenciado. Porém caso não possa, pode melhorar o espaço colocando espelhos sobre o sofá ou de frente para a porta.

(Foto: Divulgação)

 

Outra forma de deixar sua sala visualmente mais ampla e espaçosa é deixando as janelas ou as portas da sacada abertas. E caso esteja pensando em colocar cortinas, opte pelas mais finas e fluidas, pois com o balanço da cortina com o vento sua sala parecerá maior.

 

(Foto: Divulgação)

 

Para deixar sua sala pequena mais funcional, fixe na parede vários pequenos nichos, assim você consegue guardar todos os seus pertences e ainda garante charme extra ao ambiente se pintar o interior destes nichos com cores intensas ou estampá-los com papéis de parede.

 

(Foto: Divulgação)

 

Cores claras também deixam o ambiente parecendo mais amplo. Procure pintar as paredes de sua sala com cores como o branco, off-white ou no máximo um creme, e deixe pontos de cor somente com os objetos de decoração e seus pertences pessoais, como livros ou vasos de flores.

 

(Foto: Divulgação)

 

E salas estreitas podem ganhar visualmente mais largura se você optar por tapetes, papéis de parede ou decorações no teto listrados na horizontal. E neste caso, quanto mais clean você deixar a decoração, maior amplitude, pois salas com muitos móveis e objetos de decoração, ficam abarrotadas e essa “poluição” visual diminui o tamanho do cômodo.

 

(Foto: Divulgação)

 

(Foto: Divulgação)

 

(Foto: Divulgação)

 

(Foto: Divulgação)

 

Fonte: Decoração e dicas

Decoração hi-tech investe em cores néon e muita tecnologia

O estilo futurista conta com formas arredondadas e exóticas, desenhos que fazem alusão ao espaço e cores contrastantes.

Todo o mobiliário foi especialmente projetado pelo designer búlgaro Jovo Bozhinovski - Reprodução/Internet

Todo o mobiliário foi especialmente projetado pelo designer búlgaro Jovo Bozhinovski.

O projeto, de Danilo Fideli, possui luzes de LED de cores diferentes e traz benefícios da Color therapy, que promete ajudar na revitalização do bom humor, vitalidade, stress e rejuvenescimento - Reprodução/Internet

O projeto, de Danilo Fideli, possui luzes de LED de cores diferentes e traz benefícios da Color therapy, que promete ajudar na revitalização do bom humor, vitalidade, stress e rejuvenescimento.

A decoração futurista investe em formas exóticas e abusa de cores contrastantes e néons (Reprodução/Internet)
A decoração futurista investe em formas exóticas e abusa de cores contrastantes e néons.
Um tablet em proporções maiories foi instalado na superfície da mesa - Reprodução/Internet
Um tablet em proporções maiories foi instalado na superfície da mesa.
Televisões de alta definição, computadores, iluminação LED, fogões e geladeiras com milhares de funções – a tecnologia está em todo canto da casa. No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hi-tech ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia.
A tecnologia é o que mais chama atenção na decoração futurista - televisões de alta definição, computadores e iluminação LED estão presentes em praticamente todos os ambientes decorados com esse estilo (Reprodução/Internet)
A tecnologia é o que mais chama atenção na decoração futurista – televisões de alta definição, computadores e iluminação LED estão presentes em praticamente todos os ambientes decorados com esse estilo.
Todas as funções do banheiro Hi-Tech Digital são controladas por controle remoto - Reprodução/Internet
Todas as funções do banheiro Hi-Tech Digital são controladas por controle remoto.
A banheira com design moderno inova com tela de LED que transmite imagens de paisagens  - Reprodução/Internet
A banheira com design moderno inova com tela de LED que transmite imagens de paisagens.
Cama com desing futurista pode ser o centro das atenções na decoração do quarto - Reprodução/Internet
Cama com desing futurista pode ser o centro das atenções na decoração do quarto.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
A decoração futurista investe em formas redondas e exóticas , faz alusão ao espaço e ao cosmos, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos - Reprodução/Internet
A decoração futurista investe em formas redondas e exóticas , faz alusão ao espaço e ao cosmos, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos.
A decoração futurista também pode ser infantil, além de colorida, deixa o quarto com um ar mágico - Reprodução/Internet
A decoração futurista também pode ser infantil, além de colorida, deixa o quarto com um ar mágico.
Com muita tecnologia, o box possui até entrada para o carregador do celular - Reprodução/Internet
Com muita tecnologia, o box possui até entrada para o carregador do celular.
A decoração futurista investe em formas arredondadas e exóticas e em desenhos que fazem alusão ao espaço, abusa de cores contrastantes e néons, e claro, conta com vários aparelhos tecnológicos.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa - o segredo está no equilíbrio - Reprodução/Internet
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
Levemente suspensa, a cuba deixa à mostra na bancada a silhueta dos desenhos estampados em seu fundo, criando um belo efeito de luz. O espelho é instalado sobre um painel de vidro com iluminação LED embutida. Quando acesos, os desenhos gravados no vidro criam uma ideia de tridimensionalidade - Reprodução/Internet
Levemente suspensa, a cuba deixa à mostra na bancada a silhueta dos desenhos estampados em seu fundo, criando um belo efeito de luz. O espelho é instalado sobre um painel de vidro com iluminação LED embutida. Quando acesos, os desenhos gravados no vidro criam uma ideia de tridimensionalidade.
No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hytec ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia - Reprodução/Internet
No meio de tanta modernidade, a decoração com estilo hytec ou futurista vem conquistando cada vez mais os amantes da tecnologia.
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa - o segredo está no equilíbrio - Reprodução/Internet
O metálico dos objetos, na maioria das vezes, faz com que o ambiente perca a sensação de aconchego. No entanto, é possível combinar a tecnologia com o bem estar dentro de casa – o segredo está no equilíbrio.
Com forte inspiração futurista, a cozinha hi-tech conta com os mais avançados aparelhos domésticos, geladeira e fogão de última geração em tom de metal - Reprodução/Internet
Com forte inspiração futurista, a cozinha hi-tech conta com os mais avançados aparelhos domésticos, geladeira e fogão de última geração em tom de metal.
As cadeira com iluminção de LED deixam a decoração do ambiente mais moderna - Reprodução/Internet
As cadeira com iluminção de LED deixam a decoração do ambiente mais moderna.
Fonte: CorreioWeb – Lugar Certo

Cozinha Minúscula

Não é porque o ambiente é pequeno que ele não pode ser lindo e funcional. Veja truques para dar à cozinha a sensação de amplitude. Integrá-la à área social é apenas um deles: veja também dicas de cores, iluminação e circulação em 16 projetos

01

Os armários em tons de cinza, preto e vermelho unem cozinha e sala neste apartamento de 43 m². Repare que, à direita, já fica a bancada da televisão, com marcenaria que pode se desdobrar em escritório. Projeto do designer de interiores Rogério Castro.

02

A cozinha do apartamento de 42 m² era realmente um cubículo. Por isso, o designer de interiores Gabriel Valdivieso mandou fazer a bancada sob medida. “Como apoio no preparo da comida, ele precisa usar a mesa”, explica.

03

O arquiteto Renato Mendonça não hesitou em derrubar a parede entre a sala e a cozinha, truque usado muitas vezes em apartamentos pequenos como este, de 80 m². Uma bancada vazada auxilia no preparo de comida, sem bloquear o espaço.

04

Para o apartamento de 67 m², o morador Renato Cymbalista pediu uma cozinha prática, concentrada em uma parede e totalmente integrada à sala. Projeto do arquiteto Gustavo Calazans.

05

A cozinha do fotógrafo Lufe Gomes nem parece tão pequena, se pensarmos que o apartamento tem apenas 60 m². O principal truque foi integrá-la com o living e a lavanderia, que fica escondida dentro das portas de armário.

06

O painel de bambu reserva a cozinha sem ocultá-la no apartamento de 43 m² da arquiteta Fernanda Milani. Os móveis planejados têm nichos para eletrodomésticos.

07

Se você quase não usa a cozinha, como a interior stylist Melany Kuperman, não importa que ela seja minúscula. Aproveite para usar elementos raramente vistos no ambiente, como papel de parede. A geladeira pintada de rosa completa a decoração.

08

O apartamento do publicitário Rafael Carmineti é grande – são 223 m² – mas a cozinha, aberta para a sala, é pequena. Tanto que não houve lugar para a geladeira, que acabou no espaço anexo. Projeto das arquitetas Gabriela Marques e Claudia Tiezzi.

09

Sonha com uma ilha, mas tem medo que ela atrapalhe a circulação na cozinha pequena? Escolha um modelo com rodinhas, que pode ser trocado de lugar com facilidade. Projeto das designers de interiores Renata Parasmo e Flavia Alves.

10

Ao integrar a cozinha à sala, é importante criar unidade visual. A arquiteta Gabriela Marques usou madeira e azulejos coloridos, para dar o mesmo ar descontraído do living. O espaço tem apenas 3 x 2 m, mas parece muito maior por ser aberto.

11

Sem espaço para o micro-ondas? Coloque em cima da geladeira. Além desta boa sacada, o arquiteto Cesar Aumart deu um toque divertido aos eletrodomésticos com bolas. Os azulejos, antes brancos e sem graça, ganharam pintura cinza.

12

Não é porque é pequena que a cozinha tem que ter cores claras. A arquiteta Adriana Yazbek escolheu tons fortes, como azul, rosa e verde. Pontos de luz embutidos garantem a boa iluminação.

13

O morador Alexandre Pernet evita o acúmulo de objetos. Por isso, em sua cozinha, a arquiteta Luciana Penna não precisou projetar muitos armários, o que deu espaço à decoração incrível, com painel de azulejos.

14

A pequena casa de hóspedes, de 60 m², recebeu decoração colorida da designer de interiores Neza Cesar. Como só é usada aos fins de semana, a cozinha pode ser bem pequena, sem a preocupação de espaço para armários e eletrodomésticos.

15

A cozinha de 10 m² tem formato de corredor. Se a sua também for assim, coloque móveis e eletrodomésticos nas duas paredes. Eles dispensam a necessidade de ilha central. Projeto da arquiteta Valeria Bartholi.

16

O apartamento de 60 m² tinha uma cozinha bem estreita. Em uma parede vazia, a arquiteta Gabriela Marques projetou prateleiras finas, onde a moradora expõe taças e vasos.

Fonte: Casa e Jardim

Espaços ao ar livre

Harold Leidner e sua empresa de arquitetura da paisagem é bastante popular em Dallas. Com o objetivo de criar luxuosos espaços ao ar livre que se estendem ao estilo de vida do seu cliente de dentro de casa para fora, ele mostra sua arte em cada design deslumbrante .
Você encontrará áreas de estar ao ar livre estabelecidos em telhados acima paisagens, bem como espaços de jardim formais tradicionais. Qual é o seu favorito?

Fonte:  Home designing

Idéias para reformar seus móveis!

Existem variadas e práticas ideias para dar aquela cara nova aos móveis usados. Vamos a algumas delas!
TECIDOS
Um tecido fofo, fita métrica, cola, tesoura e paciência e você pode ter um móvel único e estiloso.
Uma cômoda inteiramente revestida com tecido xadrez clássico.

A dona destes gaveteiros usou restos de tecidos variados. Mas dá uma dica: “vale misturar vários tipos de estampa, mas para não se perder, procure optar por cores parecidas com padrões diversos, ou padrões similares com cores variadas.” 

Outro gaveteiro onde foram misturados várias padronagens, para as mais ousadas e corajosas.

Fonte: Cafofo da Carol

Precisando renovar seu banheiro gastando pouco, Leila teve a ideia de revestir os gaveteiros com tecido. Ela mostrou aqui!

Móvel gaveteiro da Margaret, que deu uma nova utilidade para o gaveteiro de escritório. Ela mostrou aqui.


Dois criados mudos com cara de antigos, ficam novos com pintura e tecido moderninho:

Passo a passo aqui.
ANTES

DEPOIS
Cômoda e espelhos revestidos com tecidos românticos viraram uma linda pentadeira:

Fonte: Cafofo da Carol

TECIDO CHITA
Móvel gaveteiro forrado com tecidos de chita.

Mesinha revestida com chita que pode alegrar qualquer cantinho da sua casa:

Antes:


Depois:

Este movel é do blog Artesanato do Brasil, lá existem muitas opções de trabalhos com chita.

Armários com tecidos.

Para peças maiores, como armários e guarda-roupas, aconselho usar o tecido estampado apenas nas portas e gavetas, para não ficar muito pesado. O restante do armário deixa ao natural, ou aplica um tecido liso ou uma nova pintura.

A Lourdes pintou o antigo armário de branquinho, trocou os puxadores e colocou tecido fofo na porta! Ganhou um móvel personalizado e lindo! Ela mostrou aqui!

Tecido aplicado apenas nas portas e o restante do armário ficou ao natural. Retirei daqui.

Aqui, além do revestimento com tecido nas portas, foi feita uma nova e ousada pintura.

Foto da revista Marie Claire, retirada daqui.

Móvel da cozinha também pode, neste caso foi usado pátina e forração com tecido xadrezinho (mas aconselho impermeabilizar com verniz).

Fonte: Blog Tem casa que tem.

APLICAÇÃO DE STENCIL

Luciana Murta é uma arteira de mão cheia. Você pode conferir no blog dela várias customizações que ela já fez. Neste móvel ela pintou e aplicou stencil. Veja aqui.

Outro trabalho da arteira Leila: móvel que foi renovado com stencil. Ela mostrou aqui.

ADESIVOS:

Sim, para além das paredes e geladeiras, os adesivos ficam muito bonitos em móveis:

Fonte: Cafofo da Carol

Armário com pintura e aplicação de adesivos, daqui.

Outro trabalho de pintura com aplicação de adesivos:

Fonte: Cafofo da Carol

PAPEL CONTACT

Liso ou estampado, outra boa dica para renovar os móveis :

Na reforma de sua casa Yvone usou e abusou da criatidade também na renovação dos móveis. Ela mostrou como fez este trabalho com papel de parede (que não deixa de ser um tipo de contact, né?) aqui!

A jaiane renovou uma antiga estante com pintura e aplicação de contact. Veja aqui como foi.

PINTURA


Você pode renovar seu móvel optando por uma boa pintura. Para um bom resultado recomendo sempre usar uma tinta acrílica fosca, na cor preferida.

Veja como este móvel com cara de Casas Bahia ficou mais moderno e estiloso com uma nova pintura:

ANTES:

DEPOIS:

Se você é um artista dos pincéis, ou conhece quem seja, uma dica é fazer uma pintura temáticas nos móveis.

Aqui um boa ideia para um móvel de quarto infantil. Retirada daqui.

Eu conheço duas artesãs muito boas nisto. Conheçam o trabalho de Márcia e Elaine , do blog Outro Ofício. Elas fazem trabalhos maravilhosos, incluindo pinturas artísticas em paredes e móveis, deixando tudo muito personalizado e bonito.

Vejam este móvel a la Casas Bahia, como ganhou estilo e beleza. Confiram mais trabalhos aqui!


Não descarte seu móvel antigo, freie o consumo! Quem sabe ele ainda não tem salvação? Idéias não faltam, basta pesquisar, vá nos blogs que indiquei e peça ajuda às talentosas blogueiras, elas terão imenso prazer em ajudar! Você pode ganhar um móvel super personalizado e ainda economizar para outras coisas mais necessárias.

 

Fonte: casadejuntados.blogspot.com.br