Escadas funcionais ajudam a aproveitar espaços

Com os espaços cada vez mais reduzidos de casas e apartamentos, os arquitetos têm buscado soluções para aproveitar todos os cantos do ambiente. Uma delas está nos novos designers de escadas.

 

escada vira espa� de divers� e funcionalidade

(A arquiteta sul-coreana Lua Hoon projetou uma escada que une escadaria, estantes, espaço de leitura, escorregadeira)

(Cozinha acoplada com escada)

(Escada aliada a decoração da casa)

(Escadas que decoram e guardam utensílios)

 

Nas mãos dos profissionais, elas deixam de ser somente uma estrutura que une dois ou mais planos de níveis diferentes – o que acaba resultando em perda de espaço – para ganhar novas funcionalidades.

 

(Escadas que viram estantes)

(Cantinho de socializar embaixo de escadarias)

(Escada com cara de estante de livro)

(Escada rústica com uma variedade de armários)

 

Com criatividade, as escadas podem compor a decoração do local e se transformar em jardins e móveis como estantes, armários, arquivos e até diversão para a criançada.

 

(Espaço vazio de escada vira espaço verde)

(Um barzinho acoplado com a escada)

(Um escritório montado embaixo de escadas)

(Variedade de opções)

 

 

Fonte: Portal EcoD

Anúncios

A Cobertura Mais Cara do Mundo

Uma residência inacreditavelmente luxuosa em Mônaco.

A cobertura abrange 33 mil m² e possui uma incrível piscina com toboágua.

A luxuosa cobertura ainda está em construção, com previsão de término para 2014.

A cobertura será a mais cara do mundo, custando mais de US$ 250 milhões.

Os cômodos serão requintados e muito luxuosos.

Além da piscina com borda infinita há também uma piscina no interior.

Sem contar da área fitness, com equipamentos de última geração.

A entrada do prédio é fascinante.

O hall é muito luxuoso.

A vista para Mônaco é de tirar o fôlego.

 

Fonte: Dtail

Nicho no Banheiro

As idéias surgem a partir de uma necessidade, e a criação de nichos dentro do box surgiu da necessidade de otimizar espaço dentro desse espaço cada vez menor nos empreendimentos.

Funcionou tão bem que hoje é até difícil achar um box que não tenha um nicho. A criatividade dos profissionais e dos fornecedores tem revolucionado constantemente esse pequeno e grande detalhe, com diferente tamanhos, diferentes materiais, diferentes iluminações e apresentando assim uma proposta diferente de outra.

20120917-202512.jpg

20120917-202559.jpg

Podem ser executados na própria alvenaria existente, pode ser construído uma nova alvenaria com o nicho, ou ainda criar painéis de madeira ou de drywall com esse espaço.

Seja qual for a forma de construção, é importante levar em conta as medidas de quem vai usar!

Aconselho uma altura inicial de 1,20m do chão, assim quando o usuário estiver lavando o cabelo não vai bater o cotovelo na quina e ainda sair machucado do banho!!

20120917-220829.jpg

20120917-220400.jpg

Porém, se a parede onde ficará o nicho não for próxima ao chuveiro, você pode coloca-lo mais alto, já que esteticamente fica bem bacana, e ninguém sai machucado do banho.

20120917-202225.jpg

20120917-220607.jpg

O ideal é que a parte interna do nicho acabado tenha no mínimo 30 cm de altura e 10 cm de profundidade.

Mas cuidado, se você vai construí-lo, as medidas do seu revestimento deve ser descontado, por exemplo, se de profundidade o ideal é 10 cm e o material utilizado é um mármore com 2 cm de espessura, então a profundidade da alvenaria para esse nicho deve ser de 12 cm. O mesmo acontece para as laterais e as bases.

20120917-220747.jpg

20120918-001739.jpg

Hoje já possível usar materiais como mármore, marmoglass, corean, porcelanato (tem ainda os que imitam cimento queimado e dão um acabamento mais rústico), pastilha, madeira tratada, espelho, seixos… tem pra todos os gostos.

Outro detalhe é o acabamento, o mais comum é a marmoraria fazer o nicho como uma peça inteira, pronta pra chegar na obra e ser encaixada no buraco da parede, o mesmo pode acontecer com a madeira, e o material utilizado no nicho pode ser diferente do utilizado na parede, o que faz toda a diferença dando contraste de material e sensações de profundidade, além de destacar a peça como uma obra de arte dentro do banheiro.

20120917-221010.jpg

20120917-220941.jpg

Outra opção mais econômica é como na foto abaixo, revestir o nicho com pastilhas ou mesmo com a mesma pedra utilizada na parede do box. O banheiro ganha um diferencial mas não fica um acabamento tão glamouroso.

20120917-220717.jpg

20120917-220442.jpg

Fonte: Decorando com classe

Espelhos na decoração

Glamour e ilusão de espaço.

Decorar com espelhos requer cuidados e planejamento, caso o contrário os resultados podem não agradar.

Os espelhos têm três funções básicas: aumentar a sensação de espaço, valorizar e iluminar o ambiente (Reprodução/Internet)
Os espelhos têm três funções básicas: aumentar a sensação de espaço, valorizar e iluminar o ambiente

Os espelhos podem conferir amplitude ao local, maximizar a iluminação, disfarçar elementos indesejados e ainda proporcionar um efeito estético único e sofisticado. No entanto, decorar com espelhos requer cuidados e planejamento, caso o contrário os resultados podem não agradar.
 Além de aumentarem visualmente os espaços, espelhos proporcionam glamour a qualquer ambiente da casa - Reprodução/Internet

Jogos de espelhos podem ter várias funções, basta colocá-los em posições estratégicas - Reprodução/Internet

Um tecido estampado nas paredes de um lavabo pequeno: o espelho cai como uma luva no local, dando sensação de amplitude para todos os lados, no projeto assinado pela arquiteta Renée Sbrana - Reprodução/Internet

 

É necessário planejar estrategicamente a disposição dos espelhos na decoração para que o efeito seja correspondente ao esperado, alerta a arquiteta e decoradora Yeda Garcia. “Quando posicionados de forma errada, eles podem refletir o que não queremos ressaltar na casa”, destaca.

 

Os espelhos podem conferir amplitude ao local, maximizar a iluminação, disfarçar elementos indesejados e ainda proporcionar um efeito estético único e sofisticado - Reprodução/Internet

 - Eduardo Almeida/RA Studio

 - Eduardo Almeida/RA Studio

 - Reprodução/Internet
Segundo ela, quando se trata de superfícies refletoras, é preciso evitar exageros. “Esses materiais, como espelhos e metais, por exemplo, tendem a criar ambientes frios e pouco aconchegantes, além de deixar o local visualmente desconfortável”, destaca.

 - Reprodução/Internet

O espelho é uma peça coringa que precisa ser usado estrategicamente. Superfícies refletoras tendem a criar ambientes frios e pouco aconchegantes, além de deixar o local visualmente desconfortável (Reprodução/Internet)
O espelho é uma peça coringa que precisa ser usado estrategicamente. Superfícies refletoras tendem a criar ambientes frios e pouco aconchegantes, além de deixar o local visualmente desconfortável
 - Reprodução/Internet
 - Reprodução/Internet
Os espelhos possuem duas grandes virtudes – a ilusão de espaço e o glamour, cita a arquiteta. “Séculos atrás grandiosos espelhos já eram o centro das atenções na decoração. Um ótimo exemplo é o Salão dos Espelhos no Palácio de Versalhes, construído em 1682. Desde muito tempo, espelhos vêm proporcionando glamour aos ambientes”, conta Yeda.Além da sofisticação, a ilusão de espaço é outra grande característica dos espelhos. “Eles ampliam a noção de profundidade e criam ilusão de infinito, principalmente quando um espelho é colocado em frente a outro”, comenta a decoradora.

 - Reprodução/Internet

 

De acordo com ela, esse é um ótimo recurso para ambientes pequenos. “Apartamentos e casas estão ficando cada vez menores. Utilizar espelhos na decoração, além de proporcionar charme, o espaço vai aparentar ser maior”, sugere.

 

Fonte: Correio Braziliense

Cozinhas modernas

O designer Mal Corboy tem um talento para infundir espaços de cozinha com o equilíbrio perfeito entre elementos claros e escuros, texturas quentes e gritante e luz natural e ambiente. Você vai encontrar em suas 17 cozinhas que destacamos aqui, não há um canto escuro, nem deixou de ser encontrado. De uma cozinha minimalista feita mais por uma dica de luzes LED para um número de-rosa brilhante feito ainda mais vibrante, com uma janela backsplash, há muitas idéias que podem ser encontradas e usadas ​​em sua remodelação da cozinha de casa ou construção nova.

The designer chose blue LED lighting to infuse this modern kitchen with almost underwater-like ambiance.

O designer escolheu iluminação LED azul para infundir esta cozinha moderna.
blue highlighted modern kitchen
blue highlighted modern kitchen 3
Traditional elements of wood molding, paneled doors and ornate wood flooring mix beautifully with harsher black and white plus metal elements in this modern kitchen.

Elementos tradicionais de moldagem de madeira, painéis de portas e piso de madeira ornamentado misturam lindamente com os elementos mais dura em preto e branco, mais de metal na cozinha moderna.
light infused modern kitchen 2
white modern kitchen 1
pink kitchen-white-counter
luxury modern kitchen
bamboo accented modern kitchen
wood and white modern kitchen
Warm wood plank flooring and plentiful light provide the perfect canvas for colder metal elements found in this modern kitchen.

Piso em tábuas de madeira quente e luz abundante fornece a tela perfeita para elementos metálicos mais frias encontrados nesta cozinha moderna.
A window backsplash adds extra brightness to this dynamic pink modern kitchen.
natural wood modern kitchen
Green LED lights add interest to a rather minimalist kitchen in wood and white.

LED verde  adiciona interesse para uma cozinha bastante minimalista em madeira e branco.
marble modern kitchen
light and dark modern kitchen 2
This kitchen is not lacking for natural lighting as it seems to be streaming in from windows and doors on every side.

Nesta cozinha não  falta  iluminação natural.
grey and blue modern kitchen
A touch of green, wood and faux bamboo gives this modern kitchen an organic feel.
Um toque de verde, madeira e bambu falso dá esta cozinha moderna uma sensação orgânica.
green and white modern kitchen 2
This eclectic modern kitchen is not lacking for charm nor a sunny disposition with a myriad of light sources from windows to fixtures.
A large skylight and plentiful ambient lighting fill this small windowless kitchen with warm light and a welcoming atmosphere.

A grande clarabóia e iluminação ambiente abundante preenche esta pequena cozinha sem janelas, com luz quente e um ambiente acolhedor.
Fonte: Home designing
 

Árvores são mantidas em projetos de residências

Elas podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza…

 

Além do fator estético, ter uma árvore dentro de casa é possuir um isolante térmico natural  (Reprodução/Internet)
Além do fator estético, ter uma árvore dentro de casa é possuir um isolante térmico natural

Na maioria das vezes, o primeiro passo para construir uma casa é retirar os empecilhos do terreno. As primeiras a serem derrubadas são as árvores. É complicado integrá-las ao projeto da casa, porém é possível. As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza.
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet

As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
As árvores podem fazer parte da decoração, deixando o ambiente inusitado e totalmente ligado à natureza - Reprodução/Internet
Se o seu terreno não veio com este presente natural, é possível improvisar - plantas grandes e bonitas podem ser facilmente adaptadas para crescerem de forma saudável, e ainda levar verde para dentro de casa. Foto: Casa Cor Brasília 2012 - Escritório do Advogado / Sérgio Borges - Reprodução/Internet
Dentre as opções estão as palmeiras, figueiras, ipês e caquitos - estas plantas, com luminosidade adequada e boas condições, vão ornamentar seu espaço interno. Foto: Casa Cor Brasília 2012 - Loft Garagem /  Brill & Maaldi Arquitetura, Otto Brill e Rebeca Maaldi - Reprodução/Internet
Se o seu terreno não veio com este presente natural, é possível improvisar – plantas grandes e bonitas podem ser facilmente adaptadas para crescerem de forma saudável, e ainda levar verde para dentro de casa. Dentre as opções estão as palmeiras, figueiras e ipês – estas plantas, com luminosidade adequada e boas condições, vão ornamentar seu espaço interno, florescer e quem sabe, frutificar.

As árvores dentro de casa trazem o espírito de proximidade com a natureza (Reprodução/Internet)
As árvores dentro de casa trazem o espírito de proximidade com a natureza

 

Fonte: Correio Braziliense

Drywall conquista espaço dentro de casa

Sistema de construção a seco ganha corpo em projetos residenciais, com inúmeras opções estéticas para renovar o imóvel.

 (Eduardo Almeida/RA Studio)

Renovar a casa é sempre bom, ainda mais quando se pode usar um recurso que é prático e garante beleza aos ambientes. Para isso, o drywall é uma ótima opção. Além de econômico, o sistema de construção a seco tem entre suas vantagens a versatilidade na manutenção, na mudança de leiaute e na estética, como apontam profissionais da arquitetura e do design de interiores.

A arquiteta Adriana Morávia explica que drywall é uma palavra em inglês, que tem como tradução parede seca. Isso significa que não existe necessidade do uso de argamassa para a sua construção, como na alvenaria. “É uma tecnologia que substitui as vedações internas convencionais (paredes, tetos e revestimentos) de edifícios de qualquer tipo, consistindo de chapas de gesso acartonado de alta resistência mecânica e acústica, aparafusadas em estruturas de perfis de aço galvanizado. São mais leves e com espessuras menores que as das paredes de alvenaria.”

Muito utilizado na Europa e nos Estados Unidos, segundo afirma a arquiteta da Knauf do Brasil, Fabíola Souza, o drywall é um sistema para construção de paredes, tetos e forros. “Por fora, parece uma parede de alvenaria. Por dentro, tem alta tecnologia: combina estruturas de aço galvanizado com chapas de gesso de alta resistência mecânica e acústica, produzidas com rigoroso padrão de qualidade.”

A arquiteta Adriana Morávia diz que o sistema pode ser empregado desde em forros (foto do alto) e paredes até em mobiliários (Eduardo Almeida/RA Studio)
A arquiteta Adriana Morávia diz que o sistema pode ser empregado desde em forros (foto do alto) e paredes até em mobiliários
O resultado dessa receita de construção, que vem atraindo cada vez mais o interesse de quem quer conjugar praticidade e beleza, pode ser visto nos mais diversos locais de um imóvel. “O drywall pode estar onde a criatividade do arquiteto e designer estiver, ou seja, no teto, na parede, no revestimento, fazendo volumes, vazios, curvas e muito mais”, afirma Fabíola.

Para escolher como ele será utilizado em cada ambiente, é preciso ficar atento aos tipos de chapas disponíveis no mercado. “Existem três chapas principais do sistema: Chapa RU (resistência à umidade) para áreas molhadas, ST (standard) para áreas secas e teto e RF (resistência ao fogo) para áreas que necessitam de proteção passiva contra o fogo. Com as três chapas, atendemos todos os ambientes internos da residência”, informa Fabíola.

PLANEJAR 

Para se ter uma ideia da versatilidade do sistema, ele pode ser empregado desde em forros e paredes até em mobiliários. Para escolher como será seu uso, a arquiteta Adriana Morávia conta que, como em qualquer obra, planejamento é a palavra-chave. “Ele aceita diversas configurações, como o emprego de placas simples ou duplas, diferentes espessuras, enchimentos que proporcionam maior conforto térmico e acústico e, ainda, opções para áreas úmidas. Portanto, é preciso que haja especificações do profissional (arquiteto, engenheiro ou designer de interiores), levando em conta os usos dos ambientes.”

Obras ficam mais organizadas e limpas, sem os entulhos dos métodos construtivos convencionais (Eduardo Almeida/RA Studio)
Obras ficam mais organizadas e limpas, sem os entulhos dos métodos construtivos convencionais
O projeto também é essencial para seguir critérios técnicos que garantam não só a beleza, mas também a funcionalidade no uso do drywall. “Nele, definem-se os pontos de paredes e forros que merecem reforço – a fim de aguentar o peso de lustres, pias e móveis – e determina-se a colocação de lã mineral no interior do sistema para incrementar o isolamento acústico”, diz Adriana.

A arquiteta Estela Netto confirma que o drywall tem inúmeras possibilidades de emprego. “É uma ferramenta versátil, de rápida execução, com pouca produção de lixo. Enfim, um material que pode desde rebaixar tetos até construir paredes de vedação de um edifício inteiro.”

Paredes divisórias em linhas curvas, colunas, nichos e mobiliário fixos, como estantes, são outras possibilidades apontadas pela designer de interiores Iara Santos para a utilização do sistema. “Seu uso vai depender também da necessidade de isolamento acústico e térmico. De qualquer forma, devido à sua praticidade na construção, permite uma obra mais rápida e seca e com custo mais baixo do que a de um sistema comum”, destaca.

Várias possibilidades 


Flexibilidade de utilização faz com que o drywall ganhe cada vez mais adeptos. O sistema permite a composição com outros materiais, garantido sofisticação aos projetos

Sistema pode ser usado em paredes divisórias em linha curvas, colunas e nichos, como aponta designer de interiores Iara Santos (Eduardo Almeida/RA Studio)
Sistema pode ser usado em paredes divisórias em linha curvas, colunas e nichos, como aponta designer de interiores Iara Santos
A maior liberdade para criação tem feito com que o drywall seja um sistema muito bem-vindo pelos arquitetos, que podem abusar da sua imaginação. “É um material flexível, que permite a obtenção de formas curvas e diferenciadas com a mesma facilidade com que são montadas estruturas retilíneas. Além disso, podem ser utilizados não somente como divisórias, mas também na criação de mobiliários e elementos decorativos, tornando o projeto personalizado”, conta a arquiteta Adriana Morávia.

Todas essas possibilidades são potencializadas com o uso da iluminação. “O forro feito de gesso permite uma distribuição da iluminação no ambiente e a instalação de luminárias embutidas, dando mais leveza a ele. Mas é preciso levar em conta o espaço entre o forro e a laje, que pode ficar pequeno para embutir certos tipos de luminária. Geralmente, a medida utilizada é de 15 centímetros de vão”, explica Adriana.

De acordo com a arquiteta da Knauf, Fabíola Souza, o projeto luminotécnico voltado para o drywall não difere do que é realizado para a alvenaria ou teto convencional. “Mas gosto das iluminações de LED, que proporcionam luz fria e quente, têm longa duração e geram menor gasto de energia”, defende.

Assim como há uma variedade de usos para o sistema, que há muitas possibilidades para o uso da iluminação, segundo a arquiteta Estela Netto. “Podemos utilizar todos os tipos de lâmpada, luminárias, até mesmo as pesadas, desde que se crie um reforço para tal. Utilizamos as luminárias embutidas ou mesmo as de sobrepor ou pendentes.”

E o sistema não permite apenas a instalação de fiação elétrica e cabeamento de computadores. Também é possível passar por ele tubulações hidráulicas, como aponta Adriana. “Assim, o drywall pode ser usado em áreas molhadas, como banheiros e cozinhas, por exemplo. Nesse caso, deve-se fazer a instalação hidráulica primeiro e depois o fechamento com as placas de gesso.”

RESISTÊNCIA 

Para a montagem de paredes drywall nesses ambientes, recomenda-se o uso de chapas resistentes à umidade, também conhecidas como chapas RU, como alerta Adriana. “Nessas chapas, a massa de gesso contém um aditivo, denominado hidrofugante, que aumenta sua resistência ao contato com a água. Essas paredes, antes de receberem acabamento (que pode ser pintura ou revestimento com azulejos, mármore ou granito, entre outros), devem ser impermeabilizadas em sua base até a altura de 20 centímetros, no mínimo.”

A designer de interiores Iara Santos confirma que o drywall permite a instalação de sistemas hidráulicos e elétricos. “Eles podem passar por dentro das placas entre os perfis, pois são perfurados para tal. Tudo vai depender das espessuras dos perfis”, conta. O mesmo é válido com relação à viabilidade de emprego de acabamentos em cerâmica, pastilhas e mármore, por exemplo. “O assentamento é feito com a argamassa colante ou parafusado. Mas antes é necessário verificar o peso dos materiais de acordo com especificações técnicas do fabricante.”

Segundo Adriana Moravia, o sistema aceita qualquer tipo de acabamento: pintura, textura, azulejos, pastilhas, mármore, granito, papel de parede, lambris de madeira etc. Além disso, recebe bem objetos decorativos, desde que respeitado o limite da carga suportada. “A fixação de objetos em paredes drywall é simples. Devem-se usar buchas e parafusos específicos para esse sistema.”

Com buchas específicas, podem-se fixar objetos de até três quilos diretamente na placa de gesso instalada no forro, como informa Adriana. “Se tiverem de três a dez quilos, as cargas devem ser fixadas nos perfis da estrutura do forro. Acima desse peso, as peças devem ser presas à laje ou à estrutura do telhado, pois é nela que deve incidir o peso.”

Além de econômico e estético, drywall é altamente resistente para a construção de paredes, permitindo instalação de fiação elétrica sem problemas (Eduardo Almeida/RA Studio)
Além de econômico e estético, drywall é altamente resistente para a construção de paredes, permitindo instalação de fiação elétrica sem problemas

 

Destaque nos últimos anos

Na Europa e nos Estados Unidos, o drywall (ou gesso acartonado) é um material utilizado na construção civil há quase um século. No Brasil, porém, ele só ganhou certo destaque nas últimas duas décadas. O que ajudou a popularizar o sistema por aqui foi a instalação de grandes fabricantes multinacionais no país.

» Como utilizar: o drywall pode ser utilizado na construção de paredes, forros, revestimentos e mobiliários integrados. Ou seja: para quase tudo. Para áreas externas, a sugestão é usar placas cimentícias de alta resistência.

» Onde utilizar: em áreas secas ou úmidas. Recomenda-se o uso de chapas verdes (RU: resistentes à umidade) em áreas úmidas. Nas áreas secas são especificadas chapas cinzas (ST: standard). Existem também as chapas rosas (RF: resistentes ao fogo), que são recomendadas para áreas que exijam alta resistência ao fogo.

» Revestimentos adequados: podem receber acabamentos em cerâmica, pastilhas, mármore, granito, pintura à base de resina epóxi e madeira, entre outros. Recomenda-se a utilização de argamassa colante flexível apropriada ao tamanho das peças selecionadas.

» Fixação de carga: para furar a parede, indica-se a utilização de brocas específicas e de buchas para ocos. Nos locais em que serão fixados objetos pesados (como armários de cozinha e TVs) é providencial criar um reforço com barrotes de madeira ou chapas metálicas internas. As placas entre dois montantes de 60 centímetros aguentam tranquilamente até 18 quilos.

» Manutenção e limpeza: o drywall é altamente durável, mas o proprietário precisa seguir algumas regras de manutenção. O ideal é realizar limpeza anual, com água, detergente líquido neutro e esponja macia. Produtos abrasivos não são recomendados.

Fonte: Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas em Drywall

Fulget: um revestimento perfeito para áreas externas

_i99745

 

O Fulget, ou granito lavado, é o resultado da combinação de cimento, aditivos e granulados de pedras naturais. É excelente para áreas externas por sua textura áspera e antiderrapante e pode também ser usado em fachadas ou em pisos internos.

Existem dois tipos de fulget: o tradicional, que leva somente ligantes (cimento e cal) e granulados (mármores, granitos, arenitos, quartzos) moídos em tamanhos uniformes; e o natural,que além desses elementos, soma resinas acrílicas que facilitam a aderência a superfícies verticais.

 

020996678-exh00    fulget2

 

A mistura pode aparecer em três granulometrias diferentes (com pedrinhas maiores ou menores) e uma infinidade de combinações. Além das cores naturais das pedras, os fabricantes conseguem oferecer uma maior variedade de tonalidades apenas adicionando corantes.A aplicação deve ser feita por firmas especializadas, normalmente indicadas pelos fornecedores.

untitled-41

Com boa durabilidade e visual clean e despretensioso, a única dificuldade desse material está na limpeza, pois sua aspereza retém com maior facilidade a sujeira e a poluição. Por isso, aconselha-se a aplicação de óleo hidrofugante logo após a instalação.

 

_arsl03_foster    800

 

00-47     00-p8140657

 

2895

untitled-11

untitled-51

 

Fonte: Casos de casa