Jardins em Apartamentos

Não é novidade a nenhum morador de apartamento que o aparente intransponível ambiente árido das edificações não é mais desculpa para se ter um cantinho verdejante. A pergunta a ser feita a quem quer montar jardins em apartamentos não é mais “como”, e sim “onde”. A criatividade de paisagistas e moradores, aliadas às soluções criadas para que se plante e cuide de flores, arbustos e árvores em locais fechados, faz com que frestas, cantos e varandas sejam apenas o começo.

 

A primeira e óbvia alternativa é o uso e o abuso de vasos de flores. Podem ser os pequenos vasos de violetas, cachepôs com rosas  e floreiras coloridas, que podem emular um renque e comportar flores como beijo-pintado, begônia e clívia. Plantas arbustivas de meia sombra podem ser uma excelente opção para colorir varandas e “aquele” cantinho especial onde conversas e cafés são companhias certas. Cróton, cóleus, antúrio e cataleias são exemplos que podem ser adquiridos em viveiros de confiança.

 

 

Quem não tem medo de literalmente colocar a mão no substrato e de deixar a tesoura de poda sempre à disposição pode montar um pequeno jardim de bonsais. A “árvore na bandeja” criada e difundida pela China e pelo Japão é um convite à contemplação e ao treino da paciência, já que a árvore plantada nos vasos precisam ser uma expressão miniaturizada das espécies encontradas na natureza e isso só é obtido através da delicada equação formada pelas podas de contenção e manejo do substrato e das regas. Tradicionalmente mentam-se bonsais com azaleias, pinheiros e figueiras, mas é possível miniaturizar quaisquer árvores, desde que tomados os devidos  cuidados.

 

 

Uma tendência entre os modernos jardins em apartamentos são os jardins verticais, verdadeiros “quadros vivos” plantados em paredes. Há diversas técnicas para a confecção desse tipo de jardim, desde a implantação do solo em reentrâncias de blocos e tijolos previamente instalados ao uso de materiais alternativos que servirão de suporte às plantas, como vasos cerâmicos cortados ao meio, garrafas PET, caixas e muitos outros exemplos.

 

Há também a aridez elegante dos jardins secos. Inspirados nos jardins japoneses, o uso de cascalhos e pedras é contrabalançado pela profusão de plantas suculentas, típicas do clima semi-árido, como agaves e echeverias, além de diversos tipos de cactos ornamentais. Jardins secos são perfeitos para quem adora ter plantas em casa mas não dispõe de tempo hábil para cuidar de flores com a diligencia que elas merecem, já que suculentas não precisam de regas constantes, bastando que o solo onde elas estejam plantadas seja de fácil drenagem.

 

 

Independentemente do tipo de jardim que o apartamento terá, é preciso cercar-se de cuidados básicos e comuns a todos:

  • Não plante nada diretamente sob o piso, evitando assim a infiltração de água na estrutura física do apartamento e o crescimento indesejável das raízes.
  • Leve sempre em consideração o excesso de vento natural em locais mais altos. Isso influi diretamente na umidade relativa do ar, deixando-a mais seca. Cuidado redobrado com as regas de algumas planas mais suscetíveis à falta de umidade no ar.
  • Maior periodicidade de regas significa maior perda de nutrientes. Atenção à periodicidade da adubação de reforço, que deve ser menor do que a feita em locais térreos.
  • Caso o local escolhido seja a varanda, verifique quanto peso ela poderá suportar; essa informação é dada pela construtora do prédio.

 

Fonte: Jardinagem e paisagismo

Móveis funcionais para apartamentos pequenos

Seja para apartamentos pequenos ou por questão de comodidade, os móveis funcionais ajudam e muito quando o assunto é organização. Todos eles partem do princípio de facilitar a vida de quem os utiliza, e muitos até são usados para a realização de várias funções, não apenas aquela que parece óbvia ao ver o objeto. Por exemplo: um sofá pode virar cama, e um móvel onde a TV está embutida pode servir como prateleira para organizar livros, tudo isso sem deixar a preocupação pelo design de lado.

Quando faltar espaço na sua sala ou quarto, abuse dos móveis que tem mais de uma função, economizando espaço e ganhando em criatividade e inovação. Como o exemplo da foto abaixo, um design da Diotti, empresa italiana que todo ano lança produtos incríveis e funcionais.

Veja algumas dicas e ideias de móveis funcionais:

O móvel para TV traz um design inovador e mais impressionante de tudo é que traz uma solução sofisticada para garantir um espaço extra. A TV esconde uma porta com um ótimo espaço interno, para guardar CDs, DVDs, ou o que você achar necessário. Cada vez mais os designers estão apostando em móveis 2 em 1, que servem para mais de uma função.

 

Além de ser uma bela peça — a original é vermelha, mas pode ser de outras cores, de pintura fosca ou brilhante —, garante que o espaço possa esconder alguns materiais que não precisam ficar expostos, mantendo a casa mais organizada e livre de pequenas bagunças.

Para o quarto, também há ótimas soluções, que garantem um lugar especial para guardar acessórios: é a cama Till, do Meu Móvel de Madeira. Ela vem repleta de multifuncionalidades, com diversas gavetas e dois criados-mudos, que podem entrar e sair facilmente da estrutura da cama.

Veja, na foto abaixo, o efeito decorativo que a cama pode ganhar se você aproveitar os espaços para colocar algumas peças ou caixas organizadoras. De diferentes tamanhos, as gavetas e nichos conferem ao móvel delicadeza e muita praticidade na hora de lidar com os objetos que precisamos guardar e tirar facilmente do armário.

A empresa também oferece a cama em tamanho de solteiro, e tanto a cama de casal quanto esta, da foto abaixo, estão disponíveis em diferentes cores, para agradar a todos os gostos. Para o quarto das crianças, a multifuncionalidade do móvel é ainda mais vantajosa. A gaveta grande central, é ótima para servir de baú e guardar brinquedos, livros, casacos etc…

E, falando em crianças, nada melhor do que móveis funcionais para garantir a brincadeira dos meninos e meninas, sem deixar de lado o estilo e o charme da casa. O móvel abaixo, design de James Howlett, é um mix de possibilidades: mesa, cadeira, aparador e serve para estudos, brincadeiras, jogos e muito mais!

Se você ficou confuso, repare abaixo: o móvel é um cubo com três cubos menores dentro e permite muitas formas de ser ordenado. Com certeza, móveis como esses farão a diversão de suas crianças, porque a brincadeira começa mesmo na hora de montar. Diferentes opções mais simples, como as mini secretárias, cadeiras e mesas que ficam agrupadas e podem ser desmontadas sem dificuldades pelas próprias crianças. Portanto, solte a imaginação e decore sua casa com o móvel funcional que preferir!

 

Veja outros exemplos sensacionais:

 

 

 

 

 

A fundadora da Ivydesign, a empresária e também designer Verena Lang, criou a Picture Table. O conceito é bem simples: uma mesa que “recolhe” os pés para se transformar em um quadro para decorar a sua casa.  Ideia diferente e original!

 

Fonte: Portobello

Truques para aumentar a sala

Cores claras, listras no tapete ou na parede, móveis altos… Confira algumas dicas para ampliar sua sala
Arquivo

Cores claras, janelas aparentes e listras fazem com
que a sala pareça maior

1. Detalhes em branco
Utilize a cor a favor do ambiente. Se você usar uma cor clara nas paredes, coloque branco no teto, nas guarnições das portas e nos rodápes. O espaço vai parecer muito maior.

2. Deixe a luz entrar 
Usar cortinas que deixam aparecer as janelas dá leveza ao ambiente e chama o olho para fora. As janelas são os olhos da sala. Quando as cortinas as cobrem totalmente, você faz o seu lugar menor.

3. Vá do escuro para o claro
Se você quer uma parede com cor forte na sala, como marrom ou berinjela, é preciso deixar brancas as paredes do fundo. O brilho claro da parede branca é acentuado pelo escurecimento da entrada e das paredes adjacentes.

4. Utilize o espaço vertical
Coloque as suas paredes para trabalhar a favor do espaço com mobiliário alto. As paredes vão crescer para cima, além de oferecer muito espaço para armazenamento. O lugar pode guardar material de escritório, papéis, fotografi as e agenda de telefones.

5. Explore o centro 
Frequentemente, em pequenos espaços as pessoas tentam colocar mais móveis que o desejável, e para se movimentar começam a arrastá-los para os cantos. Não caia nessa armadilha. Uma solução para dar vivacidade ao espaço é imaginar um triângulo com os móveis, constituído numa das pontas por um sofá, na outra por duas poltronas e no centro por uma mesinha, que podem ser, por exemplo, dois tamboretes.

6. Apetrechos guardados
A toda hora você perde o controle remoto? Grude uma metade de velcro na lateral da TV e outra na parte de trás do controle. Nunca mais vai perder o começo do filme procurando a bugiganga.

7. Vasos sem flores, mas bonitos
Se você não tem espaço para esconder os vasos quando estão sem flores, agrupe-os na estante de livros ou em algum móvel pequeno. Junte formas e cores diferentes para formar composições.

8. Listras alongam
Um tapete listrado alonga o espaço da sala de estar e também brinca com a cor contrastante da parede. Se a sala for muito pequena, é melhor que as paredes sejam brancas e as listras finas.

Edu Castello

Agrupe vasos de cores e formas diferentes sobre um móvel
Edu Castello

Prefira móveis altos para organizar e armazenar os objetos

Fonte: Revista Casa e Jardim 

10 ideias geniais para o jardim

Brincar com alturas de vasos, misturar texturas de materiais e até usar espelho para ampliar a visão do verde. O tédio passa longe dessas varandas e terraços com várias perspectivas. 
Texto Stéphanie Durante | Fotos Edu Castello
Fotos Edu CastelloFotos Edu Castello
1. Apoio criativo

Para brincar com a altura e deixar o jasmim-estrela um pouco mais alto do que as outras espécies, a paisagista Claudia Muñoz, da Línea Paisagismo, apoiou o vaso sobre um banquinho de madeira. 
2. Em um só lugar

O móvel de cumaru pintado de azul reúne a coleção de suculentas da moradora. Estreito, com 15 cm de largura, ele não atrapalha a circulação e mantém organizados os vasos de tamanhos e formatos variados. 
Fotos Edu CastelloFotos Edu Castello
3. Painel vivo

O barulhinho de água tem tudo a ver com
jardins, mas dá para fugir do óbvio e criar uma
fonte diferente. Aqui, Caterina instalou a bica
direto na parede e usou mudas de murta no lugar de
um painel de madeira ou concreto. Na fonte, feita
de alvenaria, nadam peixes e alfaces d’água.

4. Sem desculpas

Fica mais fácil deixar o jardim arrumado se as
ferramentas estiverem à mão. Amarrados com
fitas, a pá, o inço e o garfo de mão ficam
dispostos em uma armação de ferro. Os ramos
de lavanda deixam a solução ainda mais
charmosa.
Fotos Edu Castello

5. Canteiro especial

O canteiro de tijolos atende ao pedido da moradora, que queria uma horta no jardim. “Fazer uma caixa um pouco mais alta, com 40 cm de altura, facilita no manuseio dos temperos”, explica.

Fotos Edu CastelloFotos Edu Castello
6. Vaso sobre vaso

“Gosto de brincar com alturas diferentes, acho
que dá um destaque legal. Às vezes a planta
é linda, mas, ao ficar mais baixa do que as outras,
ela acaba sumindo”, conta Claudia. Aqui, para dar
esse efeito, ela usou um vaso de cabeça para baixo.

7. Emprestado da cozinha

Objetos usados na cozinha – como bules,
xícaras, jarras e bowls – ganham uma nova
função na varanda e se transformam em
vasos cheios de charme.

Fotos Edu Castello

8. Sem repetição

Vasos de formatos, tamanhos e texturas diferentes são recheados com espécies igualmente variadas. Para compor esse jardim, os paisagistas Sergio Menon e Caterina Poli usaram (a partir da esq.) penta, falsa-érica, lavanda, ametista e bela-emília, esta última disposta na caixa de madeira teca. Ao fundo, mais alta, uma jabuticabeira, e escalando a parede, as trepadeiras ipomeia (à esq.) e jasmim-dos-poetas (no canto, à dir.)

Fotos Edu CastelloFotos Edu Castello
9. Coleção ao acaso

Embaixo do pergolado, a moradora instalou
uma estante de cumaru para guardar as
orquídeas que ganhava de presente. “Todo
mundo que visitava a casa, me trazia
uma variedade. Quando me dei conta,
já tinha formado uma coleção”, conta.
10. Solução para o terreno desnivelado

Depois de nivelar o terreno, era preciso
decidir o que fazer com a goiabeira, que ficava
em uma parte mais alta. “Como não era possível
transplantar a árvore, fizemos uma caixa de
contenção de alvenaria, de 1,94 x 2,14 x 0,62 m,
em volta, que acaba servindo como um banco”,
conta Caterina Poli, da Grama e
Flor Paisagismo.

Fonte: Revista Casa e Jardim